Mitos sobre Cães e Gatos

gato dalmata
  1. Jardilina Ongaratto says:

    Adorei a matéria, pois sempre tiro alguma dúvida.
    Bjos.

  2. Carla Araripe says:

    Rita, parabéns pela matéria!

    Tem um outro preconceito que diz que gatos não gostam de passear na rua, de coleira. Isso é preconceito ou realidade?
    Eu só vi uma vez um gato de coleira, passeando num shopping chique aqui no Rio.
    Tenho 3 gatas em casa e minha filha é louca para passear com elas na rua. Eu não deixo porque tenho medo que elas fujam e não quero que peguem pulgas ou carrapatos.
    E percebo que as 2 mais velhas ficam muito tensas quando saem na rua, dentro das caixas, para ir ao veterinário.
    O que você acha, posso arriscar colocar elas na coleira prá passear na rua?

  3. Rita Ericson says:

    Olá Carla,
    obrigada!
    Os gatos não costumam gostar muito de sair de casa, principalmente se as experiencias de passeio foram sempre desagradaveis (veterinario, hospedagem).
    A primeira providencia é colocar 1 coleira, mas em geral eles detestam. Se o gato se acostumar, você pode experimentar sair para um lugar calmo, talvez um jardim ou um play. Se tudo correr bem, experimente sair para passear.
    Os unicos gatos que eu vi felizes de coleira, eram siameses.
    Abraço
    Rita Ericson

  4. Dilamar says:

    Adorei a matéria, estava com muitas dúvidas em relação ao meu cachorro mais agora ficou bem mais fácil.

  5. Renata says:

    Drª Rita, Tenho uma daschund de 1 ano e 2 meses..O nome dela é Julie. Bom ela desde pequena tem uns machucadinhos na pele. Já levei em vários veterinarios e o último me disse que ela nasceu com uma sarna, porém não é transmissível para seres humanos..Não sei mais o que fazer, já comprei varios remédios, shampoos (a base de cortisona) e ela não fica boa. O que mais posso fazer?

  6. Rita Ericson says:

    Olá Renata,
    a sarna demodécica tem tratamento, mas não é a base de cortisona.
    O tratamento é demorado, mas oferece bons resultados.
    Abraço
    Rita Ericson

  7. Ana Maria Duarte says:

    Adorei! Mais uma vez você “respondeu” algumas dúvidas minhas.
    Bjs.

  8. Rosane Pizzutti says:

    Rita,

    Parabéns pelo Site! É muito lindo e bastante útil!
    Percebe-se o amor que tens pelos animais.

    Abraço,

    Rosane

  9. Rita Ericson says:

    Obrigada, Rosane!
    Divulgue para seus amigos.

    Abraço
    Rita Ericson

Faça sua pergunta!

A sabedoria popular é passada de geração em geração e deve ser respeitada, mas atenção!

Muitas informações são falsas, sem nenhuma comprovação científica e devem ser esquecidas.

Quem não se lembra da vóvó que dizia: Manga com leite faz mal, mata! Que bobagem, este mito foi criado no tempo da escravidão para evitar que os escravos (que tinham muito acesso às mangas) tomassem leite.

Vamos aos mitos que devem ser esquecidos:

1- As fêmeas devem ter pelo menos uma ninhada antes de serem esterelizadas.

Não é verdade, elas não “sonham” com a maternidade nem experimentam prazer no ato sexual, como as mulheres. A reprodução é o único objetivo. Pelo contrário, as fêmeas esterelizadas precocemente correm menos risco de desenvolverem tumores de mama e infecções uterinas.

2- Focinho quente e seco é sinal de febre.

A temperatura do focinho pode variar de acordo com o ambiente (seco, quente, frio) e se o animal está “suando” ou acabou de beber água. A única maneira de avaliar a temperatura é com um termomêtro por via retal (Normal 38º a 39,5ºc). Como não é fácil medir a temperatura sem ter experiência, observe o comportamento do seu animal, eles ficam muito prostrados quando estão com febre.

3- O cão só abana a cauda se estiver feliz.

Cuidado! Animais agressivos também abanam a cauda por excitação e ansiedade. Observe a postura corporal do cão por inteiro. Se ele estiver abanando toda a parte traseira do corpo e assumir a típica postura de brincadeira, fique tranquilo.

4 – Comer terra, tijolo, pedras, parede ou fezes é sinal de verminose ou desnutrição.

Não sabemos exatamente porque alguns animais comem “besteiras”(saiba mais clicando aqui). Pode ser por tédio ou para chamar atenção. Se o animal recebe uma dieta balanceada e é vermifugado regularmente, investigue a causa. Talvez ele precise de mais exercícios, brincadeiras e atenção.

5 – Os cães e gatos machos ficam mais calmos depois de cruzarem.

Eles até ficam, no dia da cruza, porque estão exaustos. Mas é só.

No dia seguinte estão novamente com a corda toda e provavelmente interessados a cruzar novamente, o que é dificílimo. Não recomendo a reprodução caseira, somente com criadores responsáveis. Para saber mais sobre castração, clique aqui.

6 – Lamber a ferida ajuda a cicatrizá-la.

É natural que o animal lamba sua ferida, mas em excesso, atrapalha a cicatrização.

 

7 – Grávidas não podem conviver gatos.

Absurdo total! Alguns gatos eliminam o toxoplasma nas fezes, mas são necessários alguns dias no solo para se tornarem infectantes e a via de transmissão é oral, isto é, a grávida precisa comer as fezes do gato. Toda grávida deve fazer exame de sangue para detectar anticorpos para toxoplasmose e evitar limpar a caixa sanitária de seu gato, assim como evitar carnes cruas ou mal passadas, vegetais crus e mal lavados e principalmente manipular terra ou areia que pode conter fezes de gatos (parquinhos, canteiros de plantas). Outra medida fundamental é sempre lavar as mão antes de levá-las à boca.

8 – Somente os cães machos montam e levantam a pata para urinar.

Fêmeas dominantes (algumas até esterelizadas) também montam em pessoas, objetos ou outros cães assim como levantam a pata traseira para urinar bem alto, na altura dos focinhos dos outros cães. Também chamo atenção para o fato da “monta” nem sempre ser sinal de interesse sexual. É uma demonstração de poder: quem monta é hierarquicamente superior. Quem se deixa montar é o submisso.

9 – É impossível treinar gatos.

Não é verdade, eles são muito inteligentes e podem aprender alguns truques. O mais importante é ensiná-los aonde podem ou não subir (como a mesa de jantar, por ex.) e locais que podem oferecer risco (armários altos – eles sabem subir, mas nem sempre conseguem descer…)

Fazer um barulho para desviar a atenção dele, é a melhor técnica. Pode ser um assobio, jogar um brinquedo, uma chave ou lápis do outro lado da sala costuma funcionar bem.

Evite os borrifadores de água, os gato costumam se assustar muito.


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato