Você acaba de chegar em casa, com o mais novo integrante da família, mas como lidar?

Ele vai chorar?

Melhor deixar ele sozinho ou grudado comigo?

Aonde posicionar o “banheiro” dele? E a alimentação?

São muitas dúvidas.

Se o gato ou cachorro adquirido for um filhote, leia as recomendações do texto “Orientação Pediátrica”, clicando aqui.

Se o animal já for adulto, siga estas recomendações:

  • Leve-o para atendimento veterinário! Tire todas suas duvidas e peça orientação a respeito de vacinação (saiba mais clicando aqui), vermifugação e controle de pulgas e carrapatos (saiba mais aqui).
  • Alimentação: siga a mesma dieta que ele comia anteriormente. Se quiser trocar, faça de forma gradativa. Misture a alimentação antiga à nova aos poucos. Este processo deve durar aproximadamente uma semana. Não deixe alimento disponível para os cães. Adultos comem 2 vezes ao dia, de preferência na mesma hora. Se ele não comer na hora que você oferecer, guarde e ofereça novamente na refeição seguinte. Os gatos precisam de alimento disponível, mas com a quantidade controlada.
  • Se ele tiver um brinquedo ou “paninho” da casa anterior, deixe-o ficar junto com este objeto. Pode ajudar muito na adaptação.
  • Cães – escolha um local para “banheiro” e clique aqui para saber mais.
  • Gatos- a caixa sanitária não deve ficar em locais de difícil acesso, próximos a maquinas barulhentas, nem do comedouro e bebedouro. Para saber mais sobre “banheiro de gato”, clique aqui.
  • Se seu animal estiver muito tímido ou medroso, não force-o a conhecer muitas pessoas nem a ficar no ambiente mais movimentado da casa. Conquiste-o aos poucos! Chame-o para brincar, ofereça petiscos interessantes e assim ele vai se aproximar de maneira voluntária.
  • Prepare sua casa! Retire tapetes e objetos preciosos. Até ele aprender o que pode ou não fazer é mais seguro e evita aborrecimentos. Se necessário, deixe-o separado de algum cômodo “proibido”. Gatos são curiosos e sofrem acidentes com frequência. Mantenha as janelas protegidas com telas ou grades.
  • Ofereça “ambientes verticais” para os gatos: prateleiras, espaço em cima do armário, passagens entre cômodos etc (Saiba mais aqui).
  • Evite ficar grudado no seu animal. Pode ser irresistível, mas a tendência é ele ficar muito dependente e só se sentir seguro na sua presença. Force momentos de separação, deixando-o fora do mesmo cômodo que você está, nem que seja por 5 minutos. Aos poucos vá aumentando este tempo. Evite deixar ele entrar no banheiro com você.
  • Evite se despedir e cumprimentá-lo de maneira muito efusiva. O animal pode acabar associando as saídas e chegadas como os melhores momentos do dia.
  • Ofereça um “porto seguro”: pode ser uma caixa de transporte, um cantinho, um espaço embaixo de um armário – eles tendem a se sentir seguros e acolhidos em espaços pequenos.
  • Brinque muito com seu novo amigo! Existem muitos brinquedos disponíveis.
  • Socialize-o! Apresente o novo membro da família para seus amigos, parentes e visitantes. Peça para as pessoas oferecerem petiscos, brincarem e se relacionarem de forma carinhosa com seu animal.
  • Acostume-o a ser manipulado. Se o animal permitir, mexa nas orelhas, dentes, barriga etc. Sempre de maneira sutil e carinhosa. Nunca ultrapasse o limite dele! Pode até ser perigoso! Mas aos poucos, vá conquistando sua confiança e preparando-o para ser examinado sem estresse.
  • Se o animal demonstrar medo de barulhos como fogos, trovões etc, evite consolá-lo. Você pode deixá-lo próximo a você, mas sem fazer carinho nem conversar. Saiba mais, clicando aqui.

Aqui no Bicho Saudável, você encontra  muitos textos orientando a ser relacionar de forma harmônica com seu cão ou gato.

Algumas sugestões:

http://www.bichosaudavel.com/dicas-para-bom-comportamento/

http://www.bichosaudavel.com/brincar-de-morder/

http://www.bichosaudavel.com/caixa-de-transporte/

http://www.bichosaudavel.com/passeios-com-caes/

 


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato