Quando um Animal é Considerado Idoso?

Foto Patricia Nunez
  1. Rita Ericson says:

    Olá Carmen,

    nesta idade, os motivos para a falta de apetite, apatia e emagrecimento, podem ser muito variados.
    É impossível opinar sem examiná-lo.
    Leve-o para atendimento veterinário.
    Abraço
    Rita Ericson

  2. Shirley says:

    Dra. tenho uma cadela sem raça definida que meu pai resgatou há uns 11 anos de um dono que a maltratava…Hj ela está magerrima mesmo comendo, não tem mais forças para andar. Surgiram dois tumores no pescoço dela, que acabaram estourando, nós fizemos a limpeza e colocamos remédios, já está até cicatrizando. Mas ela continua fraquinha…to com medo de perder minha neguinha. Me ajuda por favor.

  3. Rita Ericson says:

    Olá Shirley,

    impossível opinar sem examinar seu animal.
    Leve-o para atendimento veterinário.
    Mande notícias.
    Abraço
    Rita Ericson

Faça sua pergunta!

Em geral, a partir de 7 – 8 anos, mas depende muito do porte do animal.

Confira na tabela de idade http://www.bichosaudavel.com/tabela-idade-4/

Quando a idade do animal equivale aos 60 anos do humano, ele  “entrou na terceira idade”.

Quando o cão ou gato atinge esta idade, devemos modificar a rotina deles. A alimentação deve ser adaptada, existem rações específicas para a “categoria senior”. Se o seu animal come comida caseira, converse com seu veterinário para mudar a receita. O idoso deve ingerir menor quantidade de calorias, a taxa de proteína também deve ser reduzida entre outras adaptações.

Existem doenças comuns aos idosos que devemos prevenir.

Nos cães, dependendo da raça (poodles, boxers, por ex.) a atenção deve ser para o sistema cardio-respiratório. Uma consulta com um veterinário cardiologista é fundamental para garantir muitos anos  com qualidade de vida. A artrite também deve ser investigada, o animal pode sentir dor crônica sem demonstrar www.bichosaudavel.com/artrite/

Os gatos precisam de atenção redobrada com o sistema urinário. É muito comum o gato idoso apresentar insuficiência renal. O controle alimentar e da ingesta de líquidos é fundamental. Só o veterinário, através de exame de sangue é capaz de diagnosticar precocemente.

Os dentes também devem ser inspecionados. Se o seu animal está com “bafo de onça”, atenção! Ele pode ter tártaro (cálculo) e doença periodontal (saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/mau-halito/). As bactérias da boca podem causar  infecção em outro local (coração, rins). Peça para seu veterinário avaliar a necessidade de limpar os dentes do seu animal (gatos também!).

As doenças reprodutivas também são comuns: piometra (infecção uterina), tumores de mama, cistos ovarianos e nos machos, doença prostática.

A castração é a melhor prevenção.

Os idosos também dormem mais e têm menos disposição para brincadeiras ativas. Isto não significa que não devem passear e brincar, mas fique atento para o limite. Se o animal quiser parar e se recusar a andar, respeite. Descanse um pouco e retome a caminhada com o ritmo menos acelerado.

É muito comum escutar as pessoas falarem: “antigamente os cães e gatos não tinham tantas doenças como câncer, hipotireoidismo, problemas dermatológicos e comiam restos de comida. Hoje em dia tomamos muito mais cuidado e os animais apresentam vários problemas”.

Mas não é bem assim!

Antigamente não tínhamos meios de diagnóstico. Ninguém sabia a doença do animal e quando ele morria, alguém logo dizia: “estava velho ou foi veneno”.

Graças a evolução da veterinária, hoje diagnosticamos precocemente e tratamos muitas doenças, garantindo aos animais longevidade com qualidade de vida.

Não adianta viver até 20 anos  sentindo dor articular, dificuldade respiratória,  sujo de urina e outras condições que tiram a dignidade que nossos animais merecem.


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato