Casamento de Bicho?!

casamento William Wegman
  1. Lucia Barros says:

    Olá, dra. Rita:
    Seu artigo é muito bom. Tenta colocar na cabeça das pessoas o entendimento para a posse responsável. Só tenho uma observação a fazer: existem bons e maus criadores! E somente os bons – por motivos óbvios – deveriam manter um canil ou gatil. Conheço casos de criadores, que somente visam o lucro. Os animais vivem em péssimas condições até mesmo de ordem psicológica. Não há um controle efetivos dos exemplares que apresentam problemas – físicos e mentais – e a reprodução é feita sem critério algum. De 500 canis tira-se 100 – ou até menos – os que apresentam animais em condições favoráveis.
    Tenho muita pena dos bichos. E as pessoas contribuem para esse aumento. Compram, por exemplo, um labrador, esquecem que o bicho cresce, come bastante e precisa de exercícios, medicamentos, vacinas e de atenção. E começam , às vezes, a reclamar. E para
    completar resolvem acasalar o seu “animalzinho”… se a situação ficar preta, o caminho é o abandono…
    Triste realidade…
    Abraços,

    Lucia Barros

  2. Rita Ericson says:

    Oi Lucia,

    concordo completamente com suas colocações.
    Abraço
    Rita Ericson

  3. Andre says:

    Ola Dr. Rita. Gostei muito do seu site.
    Eu li um artigo sobre o estresse de separação, e queria saber se isso, além de acontecer com o cachorro, pode acontecer com o dono também.
    Afinal, eu tenho uma cachorra que eu sou muito apegado. Eu sei que quando deixo minha cachorra sozinha em casa, elas apenas dorme e fica quietinha. Porém, eu não consigo deixar ela sozinha. As vezes quero sair com minha esposa, porém, eu não consigo deixar ela sozinha a noite. Tenho medo dela se sentir sozinha, abandonada. Estou em uma situação desesperadora.
    Você tem algum conselho?

    Att

  4. Rita Ericson says:

    Olá Andre,

    obrigada pelo elogio, divulgue o bichosaudavel para seus amigos!
    É possível que o ser humano também sofra com a separação de seu animal de estimação, mas precisamos viver nossas vidas!
    Se você demonstrar muito apego e sofrimento na hora da despedida, ela pode começar a sofrer também.
    Ofereça brinquedos interativos para ela ficar ocupada e distraída nos momentos que for ficar sozinha em casa.
    Eu recomendo o site http://www.bitcao.com.br/index.php?PUID=BSD para encontrar os produtos de qualidade.
    Mande noticias
    Abraço
    Rita Ericson

Faça sua pergunta!

É muito comum ouvirmos as pessoas falarem com um tom triste que seus animais de estimação nunca “casaram” ou namoraram.

Principalmente os donos docão ou gato macho……

É muito importante esclarecer que na natureza dos cães e gatos, não há relações amorosas estáveis. Eles podem ser muito amigos e parceiros, mas na hora de reproduzir, a fêmea no cio é a unica que aceita o macho e este em geral,  é o mais “poderoso” do grupo.

Para eles, não existe o ideal romantico de constituir familia ou de se completar com a maternidade. Eles não precisam se reproduzir para serem felizes. Na natureza, eles só “cruzam” para procria

O ato sexual não acalma nem melhora o comportamento dos cães ou gatos. A castração dos machos sim:  modula o comportamento agressivo, reduz (ou resolve) a marcação urinaria, diminui as fugas e a “valentia” com outros cães na rua.

Se optar por reproduzir sua fêmea, fique atento. Nem sempre o plano sai como planejado…a mãe pode precisar de cesareana, por exemplo. Ela pode ter alguma dificuldade para amamentar e precisamos dar mamadeira para os filhotes de 3 em 3 horas! Quem tem tempo para toda esta dedicação?

A responsabilidade pelos filhotes é dos donos da fêmea. É possível fazer um acordo com o dono do macho e dividir a ninhada. Mas isto geralmente acontece quando se trata de animais com alto valor de venda. Parace que vender animais é um bom negócio, mas posso garantir que este é um mercado muito difícil. Só os criadores MUITO BONS conseguem vender todos e por valores altos.

Se a fêmea tem 8 filhotes, por exemplo, é preciso conseguir 8 donos dedicados, responsáveis e interessados. Os amigos demonstram interesse, mas na hora de buscar o filhote…nem sempre aparecem.

É uma delícia acompanhar os filhotes crescendo, mas chega um momento em que eles estão grandes, bagunceiros e a mãe já não dá conta de todos – a nossa casa mais parece um canil.

Este é um momento perigoso! Dependendo do nível de estresse e necessidade de doar os filhotes, muitas vezes eles são doados para “qualquer” pessoa que demonstre interesse. A pessoa mais bacana e interessada por não ter tempo, vontade ou até mesmo condições financeiras de ter um animal de estimação.

Eu não recomendo que se reproduza cães e gatos de forma amadora – CRIAÇÃO É PARA CRIADORES!

 


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato