encontro 111017

Dia 11 de outubro, conversamos no Programa sobre como preparar cães para trabalhar como guia de cegos e maus tratos ao animais.

Veja nos links:

Maus -tratos

Guia de cegos

encontro 111017 galera

Leia mais →
gato presente2

Muitas crianças sonham e imploram para ganhar um cão ou um gato de presente.

O Dia das Crianças é uma oportunidade para elas realizarem este sonho.

Mas os animais não são objetos, não podem ser trocados, descartados ou doados se não se adaptarem bem ao novo ambiente.

Ter um animal de estimação é uma experiência riquíssima e só mesmo vivendo e experimentando, para conhecer o amor que nasce nesta relação.

O convívio de crianças com animais é muito enriquecedor (saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/animais-e-criancas/), elas aprendem a serem responsáveis e a respeitar o limite do outro entre outras experiências riquíssimas.

O problema surge quando a família não está decidida e preparada a conviver com um animal de estimação.

Ter um cão ou gato requer dedicação, tempo, planejamento e investimento financeiro.

Mesmo que a criança se comprometa a ajudar, realizando tarefas simples (como trocar a água ou escovar os pelos), a responsabilidade é dos adultos.

Os gatos exigem menos dedicação, não precisam passear, são menos dependentes e mais silenciosos. Mas também precisam de cuidados e atenção.

Os cães precisam de MUITA atenção, adestramento básico, passeios, atividades físicas e mentais além de muito carinho.

A expectativa de vida dos cães e gatos gira em torno de 12 anos (podendo chegar a 20!) e muitas pessoas não podem se comprometer por este longo período.

Se alguém na família for alérgico, vale a pena escolher bem o tipo de pelagem (saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/sou-alergico-a-animais-mas-quero-ter-um/).

Não se esqueça de checar se no local aonde a pessoa mora, é permitido ter animais.

Outra consideração importante é em relação às viagens. É preciso planejamento para não ser pego de surpresa na hora de arrumar as malas e programar a hospedagem do animal ou combinar com alguém para cuidar dele (saiba mais clicando aqui).

A decisão de ter um animal de estimação deve ser muito bem planejada. Por isso eu acho perigoso dar animais de presente.

Se após muita reflexão a decisão for por adquirir um animal, considere adotar ao invés de comprar. Existem muitas instituições com animais a disposição para adoção.

Se a ideia for adquirir um animal de raça, estude bem as características das raças e a qualidade das criações.

Conheça os locais que os animais são criados e tire todas as suas dúvidas.

Sejam felizes!

 

Leia mais →
coceira apoquel

A maior queixa das famílias brasileiras que levam seus cães para atendimento veterinário no Brasil, é a coceira.

Um levantamento recente mostrou que este número chega a 40%!

Sabemos que além do desconforto para o animal, um cachorro que se coça também abala a tranquilidade da família.

Antigamente, um problema de pele num cachorro que passava toda sua vida num quintal, afastado da família, poderia nem ser percebido.

Atualmente, os cães convivem conosco dentro de casa, sobem no sofá e muitas vezes dormem nas nossas camas (eu adoro! Para saber mais, clique aqui).

Ao primeiro sinal de coceira, a família já percebe que algo está incomodando o cão.

Ele se coça tanto que ninguém mais consegue dormir!

Se a situação não for controlada, podemos chegar ao ponto de ter um animal cheio de feridas na pele, queda intensa de pelos e mau cheiro.

O diagnóstico das doenças de pele nem sempre é fácil (para saber mais, clique aqui).

Quando se trata de um quadro de alergia é preciso ter paciência e persistência.

Para definir a causa da alergia, o veterinário precisa examinar o animal e obter muitas informações a respeito da rotina deste cão.

Os cães podem ser alérgicos a qualquer substância! Assim como nós, humanos.

Para saber mais sobre alergias, clique aqui.

Quando não podemos impedir o contato do animal com a causa da alergia, como nas dermatites atópicas (animais alérgicos a substâncias do ambiente como ácaros, poeira etc) o desfaio é ainda maior.

O primeiro objetivo do tratamento é o alívio da coceira.

Finalmente temos a opção de uma terapia inovadora indicada para o tratamento da coceira associado às dermatites alérgicas caninas, incluindo a dermatite atópica, uma doença crônica.

A chegada do Apoquel no Brasil é uma novidade a ser comemorada, tendo em vista seu efeito rápido (início do alívio em até 4 horas!) e sua indicação para diversos tipos de alergias como as alimentares, as causadas por ectoparasitas, como pulgas e a dermatite atópica.

Outro diferencial do Apoquel é a segurança no uso prolongado, pois tem a eficácia e a rapidez dos corticoides, sem causar os efeitos colaterais destes medicamentos.

Utilizados como uma das poucas opções para o tratamento da coceira até o surgimento do Apoquel, os corticoides podem trazer muito prejuízo à saúde dos animais. Em curto prazo, os cães ficam com a respiração ofegante, urinam demais, têm sede e fome excessivas. Em longo prazo, podem sofrer de pancreatite, diabetes, perda de massa muscular, aumento de peso e infecções, entre outras complicações.

É muito importante buscar definir as causas das doenças de pele. Apesar dos sintomas serem muito parecidos (coceira, perda de pelos, feridas, mal cheiro), o diagnóstico e o tratamento podem ser muito diferentes.

Como as alergias são dificilmente curadas e sim controladas, o alívio da coceira é um grande benefício.

Converse com a(o) veterinária(o) de sua confiança e ofereça conforto para seu cão!

Assista o filme:

Leia mais →
petiscos
Os cães adoram ganhar petiscos e nós adoramos dar, não é mesmo?

Mas você sabia que se o seu cão “trabalhar” para ganhar este petisco ele vai ficar mais feliz ainda?

Uma pesquisa da Swedish University of Agricultural Sciences provou que os cachorros ficavam muito mais animados, abanando mais o rabo e mais ativos quando este petisco era oferecido como “pagamento”, quando os cães trabalhavam e mereciam recebê-lo, ao invés de simplesmente ganhar “de graça”.

Todos gostamos de completar uma difícil tarefa e alcançar um objetivo.

Sentimos orgulho e satisfação e uma grande sensação de bem estar.

Os cães também!

Tarefas simples, como sentar, deitar, dar a patinha devem ser executadas antes do seu cão receber um prêmio.

Outra maneira muito fácil e prática de estimular seu cão, é pedir para ele executar alguma tarfea, algum comando antes de alimentá-lo, colocar a coleira para passear, jogar uma bola…desta maneira ele aprende a prestar atenção em você e a controlar a ansiedade – muito comum nos cães!

Mas é importante tomar cuidado com o tipo de petisco oferecido.

Se o seu animal apresenta alguma restrição alimentar (alergias, doença renal, diabetes etc) converse com o/a vet. dele e peça orientação.

Se ele estiver acima do peso também é importante escolher opções com poucas calorias. (Clique aqui para saber mais)

Eu recomendo oferecer pequenos pedaços (mínimos mesmo, do tamanho da unha do seu dedo mindinho) várias vezes ao invés de entregar um pedaço grande, uma vez só.

O cão fica feliz em ser premiado e engole o pedaço em 1 segundo!

Vale mais a pena partir o alimento em pequenos pedaços e se dedicar mais tempo a treiná-lo e agradá-lo do que oferecer um pedaço grande, uma vez só.

Existem muitas opções de petiscos nas petshops, algumas mais naturais outras repletas de corantes!

Os animais têm preferências, assim como nós! Alguns amam os biscoitos crocantes e doces, tipo biscoito de maizena, outros preferem os mais macios e com sabor mais salgado.

Existem várias receitas, fáceis de fazer em casa, fora a opção de oferecer frutas, legumes, entre outras (clique aqui para algumas receitas).

Diversifique, experimente!

Leia mais →
tosa gato

Se você tem um gato peludo, já deve ter pensado ou ouvido falar em tosá-lo, especialmente quando a temperatura começa a subir.

Mas será que a tosa realmente ajuda o gato a sentir menos calor?

Será que eles gostam?

Para nós, parece muito desconfortável usar um casaco peludo quando está calor, e com a melhor das intenções muitas famílias tosam seus gatos.

A estrutura dos pelos dos gatos é bastante diferente dos nossos cabelos, são camadas que tem a função de ajudar a regular a temperatura do corpo, tanto no frio, quanto no calor.

Os pelos também protegem os gatos de possíveis queimaduras de sol.

Gatos de pelos brancos correm o risco de desenvolverem cancer de pele, se expostos ao sol. As áreas mais sensíveis são as pontas das orelhas e a face. Preste atenção se aparecerem manchas rosadas e /ou feridas nestas regiões.

É fundamental manter os pelos dos gatos desembaraçados. Gatos de pelos muitos longos tendem a formar verdadeiros bolos de nós no pelo.

Nestes casos, pode ser importante tosar para retirar os nós. Costuma ser muito incomodo e doloroso desembaraçar tudo com pente e/ou escova.

O ideal é escovar os gatos diariamente para evitar a formação de nós.

A escovação também é muito útil para massagear, inspecionar e estimular a circulação da pele dos gatos. Também é uma ótima maneira de evitar que muitos pelos caiam pela casa. Basta observar o bolo de pelos que retiramos com a escova.

Mas se o seu gato precisa ser tosado, tome alguns cuidados:

  • chame um profissional – o risco de acidentes é muito grande! Já vi muitos casos de cortes e queimaduras (a lâmina da máquina esquenta!)
  • considere realizar a tosa em casa – gatos costumam detestar sair de casa e ficam muito estressados
  • se o seu gato sair de casa e você tiver outros gatos gatos, atenção na hora do retorno! Os gatos podem estranhar e até brigar com o gato que saiu. Reintroduza ele com calma (para saber mais, clique aqui).
  • deixe pelo menos 1 centímetro de pelo – a pele fica mais protegida e diminuímos o risco de irritar demais a pele

Para saber mais sobre tosa, clique aqui.

 

Leia mais →
giardiase-zoetis

A giardíase é uma doença causada pelo protozoário Giardia lamblia e pode ser transmitida do animal para o homem e vice-versa, e por isso é considerada uma zoonose pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Nós podemos nos contaminar quando ingerimos água ou alimentos contaminados pelos cistos (“ovos”) do protozoário. Os cães também se contaminam da mesma forma, sendo que nos locais frequentados por muitos cachorros os casos de recontaminação são frequentes devido à dificuldade de remover os cistos (“ovos”) do ambiente.

Os cistos também podem ser encontrados nos pelos dos animais.

A giardíase é uma doença bastante comum, mas pouco conhecida pelas famílias que possuem cães.

Seus sintomas mais frequentes são:

  • diarreia, fezes pastosas e fétidas
  • vômitos
  • dor abdominal
  • desidratação e perda de peso

Por conta destes sintomas, a infecção pode ser facilmente confundida com outras doenças intestinais e tratada de maneira incorreta.

Para saber mais sobre fezes pastosas e diarreia, clique aqui.

Por isso, é fundamental identificá-la e, acima de tudo, prevení-la.

A vacinação é uma opção segura e eficaz para proteger seu cão da giardíase.

O tratamentos é simples, mas as reinfecções são frequentes, pois os protozoários eliminados nas fezes podem contaminar novamente o ambiente e causar nova infecção.

Alguns cães, mesmo infectados, não apresentam qualquer sintoma, mas continuam eliminando os cistos (“ovos”) no ambiente podendo infectar crianças, adultos e outros animais.

A Zoetis disponibiliza a vacina Giardiavax, única no mercado brasileiro para evitar a giardíase em cães. Administrada em duas doses na primeira vacinação e em dose única anual para animais já vacinados, GiardiaVax é indicada para cães saudáveis a partir de oito semanas de idade, com intervalo de duas a quatro semanas entre as doses. A proteção é ocorre 15 dias após a aplicação da segunda dose da vacina.

Também é importante caprichar na limpeza dos locais em que o cão mora ou frequenta.

Contaminação em humanos

Estudos científicos revelam que uma em cada cinco crianças brasileiras em fase pré-escolar (de 2 a 6 anos) apresentam infecção por giardíase. Em creches, a frequência da doença chega a atingir mais da metade das crianças, devido ao uso de água não fervida e não filtrada (Scalia LA, Fava NM, Soares RM et al. Multilocus genotyping of Giardia duodenalis in Brazilian children. Trans R Soc Trop Med Hyg., 110(6):343-349, 2016).

A lavagem das mãos apenas com água não é suficiente e é um fator de risco para a contaminação. Vale lembrar que os cistos(“ovos”) de Giardia e de outros parasitas podem ser encontrados em águas de esgoto, tanto tratado como não tratado.

Pensando na saúde pública, a Zoetis desenvolveu um vídeo sobre a doença, explicando a transmissão e os cuidados importantes para prevenção.

 

Assista o vídeo:

 

Vamos proteger toda nossa família!

 

As informações deste folheto abaixo são muito claras e úteis!

Clique aqui para acessar o PDF

 

 

Leia mais →
cao velho e filhote

É muito comum as famílias planejarem adotar um novo filhote quando o cão ou gato da família começa a envelhecer.

A ideia é rejuvenescer o idoso e começar a fazer uma preparação para quando o animal mais velho já não existir mais…

Mas nem sempre este plano funciona bem, precisamos tomar alguns cuidados para não estressar o animal mais velho e proteger o filhote.

Se o cão ou gato idoso não tiver mais energia, paciência e disposição para lidar com o filhote, ele vai fazer de tudo para evitar o contato direto.

A principal linguagem utilizada pelos cães cães e gatos é a corporal.

Nem sempre a família humana percebe que o velhinho está tentando se “livrar” do filhote porque os gestos que eles usam para evitar contato podem ser muito sutis, como sair do cômodo que o filhote está ou não fazer contato visual, por exemplo.

Se o filhote for muito insistente, o animal mais velho pode exibir comportamentos mais ativos e agressivos, como mostrar os dentes, rosnar e até morder.

A reação mais natural da família humana é achar este comportamento muito compreensível e normal, é o mais experiente tentando “colocar o baixinho abusado no seu devido lugar”!

O maior problema é quando a situação foge ao controle. Nem sempre a família consegue “ler” a linguagem dos cães e gatos e podemos ter acidentes!

O filhote pode chatear muito o animal mais velho, fazendo ele sentir dores articulares, por exemplo. Ou então o animal mais velho pode acabar mordendo e machucando o filhote.

O ideal é pedir orientação para o/a veterinário/a e entender se a situação está controlada, se desenvolvendo conforme o esperado ou se agravando.

Os filhotes, tanto de cães como de gatos, precisam de muita atenção e atividades interativas. Eles precisam brincar, correr, roer(cães) e caçar(gatos)!

A família precisa se dedicar bastante para manter o filhote entretido e não deixá-lo perturbar demais o velhinho.

Quanto mais brincadeiras ativas, de correr, de esconde-esconde, oferecer brinquedos recheáveis com alimento, bolinhas de todos os tamanhos e tipos, melhor!

Se for necessário, devemos deixá-los separados, quando não pudermos ficar por perto.

Especialmente se formos sair de casa ou durante a noite de sono.

Se não houver este cuidado, a cada reação agressiva do idoso, o filhote pode reagir e eles podem acabar brigando e se machucando.

Não podemos correr o risco de “ensinar involuntariamente” para o filhote, que cães mais velhos são ameaçadores e assustadores, isto poderia atrapalhar a relação deste filhote com outros cães, por toda sua vida!

Muitas vezes, a chegada de um filhote na casa realmente traz alegria e mais atividade para o animal mais velho.

O filhote é animado e sempre disposto a brincar e se o idoso ainda tiver energia, ele vai adorar o estímulo.

Mas certifique-se que seu velhinho está saudável, sem dores (pricipalmente as articulares – saiba mais, clicando aqui) e capriche no processo de introdução do filhote.

Para saber como fazer esta introdução cuidadosa, clique aqui.

Se você tem a certeza que quer outro animal, prefira fazer isso antes do velhinho ficar com dificuldades locomotoras, enxergando menos ou até mesmo mostrando sinais de que está ficando “gagá” (saiba mais, clicando aqui).

Vai ser melhor para todo mundo! Para o velhinho que vai aproveitar a companhia, para o filhote que vai ter um “professor” ainda com disposição e para a família humana que vai conviver com os dois, num ambiente harmônico e equilibrado!

Leia mais →
Processed with VSCO with m3 preset

Lenin!

Parabéns, Mikaela!

Seu lindão ganhou o concurso do Bicho Saudável e Pets du Monde!

Vocês vão receber este kit com as delícias para ele saborear em casa!

kit pets du monde

Leia mais →
tosse

 

Nesta época mais fria do ano, estamos acostumados a lidar com um maior número de casos de gripes e alergias em humanos.

É bastante comum as pessoas me perguntarem se os animais também ficam gripados.

Ficam sim!

Outra dúvida frequente, é se a gripe dos cães é contagiosa para a gente e vice-versa, se a nossa gripe pega nos cachorros.

Neste caso a resposta é : NÃO! 

Nós não corremos o risco de nos contaminar com a gripe canina, nem eles se contaminam com a nossa gripe humana.

A gripe canina, “Tosse dos Canis”  ou traqueobronquite infecciosa canina é uma infecção respiratória altamente contagiosa que acomete SOMENTE os cães. Infelizmente, esta gripe canina pode ocorrer em qualquer época do ano.

Ela é causada pelo vírus da Parainfluenza e pela bactéria Bordetella bronchiseptica.

O sintoma da infecção causada pela Bordetella bronchiseptica é uma tosse severa e seca, que é agravada pela atividade ou excitação. O auge da tosse é acompanhado de vômito e esforço na tentativa de expelir pequena porção de muco da traquéia. O animal pode apresentar febre, devido à infecção bacteriana secundária. Devido à alta contagiosidade, a doença pode ser transmitida rapidamente aos cães suscetíveis e provocar tosse intensa. Os sintomas mais severos são notados de 2-5 dias após a infecção, mas podem continuar por períodos mais extensos. O stress devido às más condições do ambiente, pode provocar recaída. 

Geralmente o animal é levado para clínica como se fosse uma emergência: o proprietário tem a impressão que ele engoliu algum objeto que ficou preso na garganta.

Muitas vezes é necessário fazer exames complementares como radiografia e exames de sangue (hemograma) para avaliar o risco de outras causas.

Nos casos brandos o animal se alimenta e se comporta normalmente, não apresenta febre e costuma melhorar sem tratamento em um período entre 7 a 12 dias. O maior incômodo é a força e a frequência da tosse. Às vezes, a tosse é tão forte, que nem o cachorro nem ninguém consegue dormir em casa!

Os casos mais graves costumam ser em filhotes e animais idosos.  A tosse passa a ser produtiva (com secreção) devido a contaminação bacteriana secundária (podendo até levar a um quadro de pneumonia). Nestes casos, o animal pode apresentar febre, secreção nasal e ocular, diminuição do apetite e prostração.

Existem vacinas disponíveis que são recomendadas para evitar a cotaminação.

A Zoetis possui duas opções de vacinas para evitar a Tosse dos Canis:  BronchiGuard® e a Bronchi-Shield III.

A BronchiGuard® é uma vacina injetável, que pode ser aplicada no cão ainda filhote, a partir da 8ª semana de vida, sendo a primeira vacinação composta de duas doses, com intervalo de duas a quatro semanas. Essa proteção deve ser reforçada anualmente, em dose única.

A outra opção  é a Bronchi-Shield III: vacina intranasal,  que dispensa o uso de agulhas! Basta aplicar o líquido nas narinas do cachorro! Ela também é prática por ser uma dose única e recomendada para cães a partir de 8 semanas de idade.

É indolor e uma alternativa excelente quando se precisa de uma rápida proteção.

A vacinação precoce, a partir dos dois meses de idade, evita que o animal se contamine antes de ter contato com os agentes causadores da enfermidade. Mas é importante imunizar também os cães jovens e adultos, pois a vacinação é uma aliada importante para proteger o animal da gripe o ano todo. Em qualquer situação é recomendável consultar o médico veterinário para manter o cão saudável.

A vacinação é extremamente recomendada para todos os animais e especialmente para aqueles que frequentam canis, hospedagens, aulas coletivas, parques e também para os cães idosos e/ou com problemas respiratórios.

Para prevenir a infecção deve-se evitar o contato com animais doentes e locais com muitos cães (pet shops, hospedagens, canis etc). O vírus é transmitido através de aerossóis, isto é, gotas eliminadas na tosse e no espirro. Esta contaminação pode ocorrer pelo ar ou através de objetos e pessoas que entraram em contato com animais doentes.

A vacinação é eficaz em animais sadios. Contudo alguns animais podem ser incapazes de desenvolver ou manter uma adequada resposta imune após a vacinação. Isto poderá ocorrer se os animais estiverem com alguma doença infecciosa, estiverem mal nutridos ou parasitados, ou estressados devido ao transporte, ou condições ambientais adversas, imunocomprometidos ou se a vacina não for administrada corretamente. 

Manter os cães vacinados é importante para a saúde dele e para evitar a contaminação para outros cães.

Fique atento a outras possíveis causas de tosse nos cães.

Alguns cães apresentam um quadro estranho, parece um ataque de espirros “para dentro”, como se o animal estivesse até sufocando!

Pode ser “espirro reverso”. Para saber mais, clique aqui.

Se ele já tiver mais de 7 anos, devemos suspeitar também de doenças cardíacas.

Para saber mais sobre cuidados com cães idosos, clique aqui.

Converse com seu veterinário.

Leia mais →
gato feliz

Se o seu gato pudesse te dizer como seria sua rotina perfeita, como você acha que seria?

Gatos gostam e precisam de muito mais do que só comer e dormir!

Mas dormir é um assunto sério!

SONO

Eles dormem muito mais que nós (aproximadamente 16 horas por dia!), mas é um sono interrompido, eles acordam várias vezes. Saiba mais sobre sono, aqui.

Se o ambiente estiver muito calmo, sem estímulos, a tendência é dormir mais ainda, os gatos podem dormir mais porque estão entediados.

Gatos costumam adorar almofadas, camas, cobertores e superfícies quentinhas.

BRINCAR

Outro assunto que deve ser levado a sério é a brincadeira.

Gatos amam brincar!

Mas eles precisam de estímulos.

Na natureza, tudo que é pequeno e se mexe, chama a atenção de um gato. Nas nossas casas, há pouco movimento. Por isso devemos usar brinquedos simples, como uma varinha com um barbante e penas na ponta ou até mesmo com o apontador de laser – dá para descansar no sofá e brincar com seu gato ao mesmo tempo! Para saber mais sobre brinquedos, clique aqui.

Sabemos que os gatos de vida livre correm muitos riscos e têm uma expectativa de vida muito curta. Mas a vida é mais estimulante.

Dentro de casa, eles vivem com mais segurança, saúde e longevidade, mas pode ser muuuuuito chato. (Saiba mais sobre a diferença entre vida livre X confinada, clicando aqui)

Para evitar este tédio, devemos oferecer um ambiente rico em estímulos.

É fácil instalar prateleiras para o gato subir, locais próximos as janelas (teladas!) para que eles possam ver e ouvir os pássaros lá fora e arranhadores longos e bem posicionados para eles se alongarem e marcarem com suas unhas. Existem até DVDs com imagens e sons para enriquecer a rotina deles!

Existem muitas ideias para promover um enriquecimento ambiental para os gatos, nas nossas casas (saiba mais, aqui).

ALIMENTAÇÃO

Comer! Este tópico é muito importante!

Gatos precisam comer pouco, várias vezes ao dia. É como se eles “beliscassem” ao invés de fazer grandes refeições como nós, ou como os cães.

Se o gato está dentro do peso ideal, a maneira mais fácil é deixar ração seca disponível e oferecer ração úmida uma ou duas vezes ao dia. Se seu gato estiver acima do peso, é importante estabelecer outra rotina e oferecer um alimento com pouca caloria e muita fibra (existem rações específicas para emagrecer nas petshops).

Gatos são exigentes para beber água. Ela precisa estar fresca e limpa. Por isto eles gostam tanto de água corrente, mas não dá para deixar a torneira aberta…

O ideal é oferecer uma fonte (há várias ideias de como fazer em casa, na internet) ou pelo menos garantir que a água do pote está sempre limpa e fresca. É importante que o pote seja largo e de preferência, transparente, eles gostam de ver a água limpa.

BANHEIRO

Para o gato se sentir confortável, sua caixa sanitária precisa estar sempre limpa e num local tranquilo.

O número básico é pelo menos uma caixa por gato, mais um (isto é, se você tem 2 gatos, deve ter 3 caixas sanitárias em casa).

A escolha da areia também é importante, alguns gatos tem preferências por diferentes texturas. Evite as perfumadas.

Nunca posicione a caixa num local de difícil acesso ou que o gato precise passar por alguém (humano ou animal) que ele tenha medo.

CARINHO

A maioria dos gatos ama carinho!

Alguns gatos não ficam confortáveis com muitos abraços e agarrões e devemos respeitar.

Basta sentar no sofá e fazer um cafuné, escovar com uma escova macia, massagear as costas…seu gato vai ficar feliz!

GATOS NÃO GOSTAM DE…

É claro que os gatos são diferentes, nem todos gostam e desgostam das mesmas coisas, mas a grande maioria prefere não receber carinho na barriga, ser agarrado no colo, apertado e contido, não precisam tomar banho nunca (saiba mais aqui), sair de casa para ir ao veterinário, receber muitas visitas, obras em casa ou qualquer grande modificação na rotina da casa.

 

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato