Normalmente, os filhotes machos de cão e gato nascem com 2 testículos na bolsa escrotal.

Mas alguns animais podem apresentar somente um testículo na bolsa ou até mesmo nenhum.

Os testículos se desenvolvem no abdômen do filhote (durante a gestação da sua mãe) mas precisam “descer” até a bolsa escrotal para não sofrerem com a temperatura interna (e alta) do corpo.

Se isto não ocorrer até aproximadamente os 2 meses de vida do filhote, dificilmente ocorrerá…

O(s) testículo(s) que não encontramos na bolsa escrotal, pode(m) estar localizado(s) no abdômen ou no canal inguinal (na região da virilha) do filhote.

Este(s) testículos(s) podem ser funcionais ou não, mas existe o risco dele(s) causar(em) problemas no futuro (principalmente o desenvolvimento de tumores), se não for(em) removido(s) cirurgicamente.

O Criptorquidismo (também chamado de monorquidismo, se for um testículo só) é genético e por este motivo se recomenda a retirada dos 2 testículos deste animal, para evitar que ele se reproduza.

O diagnóstico costuma ser feito logo na primeira consulta, quando o/a veterinário/a examina o filhote e não consegue palpar os 2 testículos na bolsa escrotal.

Quando também não sentimos a presença de um ou 2 testículos na região da virilha do animal, precisamos realizar um exame de ultrassonografia para confirmar a presença do(s) testículo(s) no abdômen.

O tratamento recomendado é retirada cirúrgica dos 2 testículos, através da castração.

Para saber mais sobre castração, clique aqui.

A incidência de criptorquidismo é muito maior nos cães do que nos gatos.


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato