A procura por terapias chamadas “alternativas” vem crescendo na veterinária, assim como na medicina humana.

Muitos tutores de cães e gatos se interessam e até preferem este tipo de tratamento.

Especialmente quando o problema é comportamental.

No tratamento comportamental, precisamos lançar mão de várias técnicas: obediência, comunicação, adestramento e eventualmente, medicação.

Infelizmente, não existe um único tratamento, precisamos aliar diferentes estratégias para alcançarmos a melhora desejada.

Não tenho duvidas que a acupuntura, a homeopatia, a terapia Floral, a fitoterapia e as massagens são benéficas.

Mas é muito importante tomar cuidado e não usar tratamentos “naturais” sem que a(o) veterinária(o) de seu animal saiba.

Não é por ser natural que significa que não oferece riscos para a saúde.

O arsênico é natural e pode matar!!!

A cultura brasileira e a sabedoria popular recomendam o uso de ervas para “todos os males e todos os fins”!

É importante lembrar que as ervas podem estar contaminadas por pesticidas, fertilizantes e bactérias. O que pode piorar o estado de saúde do seu animal.

A origem e as dosagens não costumam ser controladas e os efeitos indesejados podem ser piores que o efeito esperado.

Os efeitos colaterais mais comuns são digestivos podendo causar vômitos e diarreia.

A acupuntura ajuda a controlar a dor, entre outros benefícios, especialmente em processos crônicos.

Eu tenho uma experiência pessoal espetacular. Recomendo a acupuntura para muitos dos meus pacientes, com um resultado muito bom.

Os terapeutas florais e os homeopatas precisam ter formação e experiência para praticar.

Não é por oferecerem poucos efeitos colaterais que qualquer “curioso” pode medicar um animal doente.

Se você tiver interesse, converse com a(o) veterinária(o)o do seu(s) animal(is) e peça uma indicação de um profissional capacitado.

 


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato