cão e gato

Na minha rotina clínica de comportamento de cães e gatos, atendo muitas famílias com queixas que na verdade não são realmente problemas comportamentais.

É fundamental conhecer o comportamento natural das espécies e atender suas necessidades básicas.

Um cão que rói tudo, na verdade está exibindo um comportamento natural da espécie canina – cães precisam roer!

Mas para ele não roer todos os móveis da casa, precisamos oferecer brinquedos adequados e que ele goste…os animais também têm preferências, assim como nós!

Nem sempre o brinquedo da moda é aquele que a criança mais gosta, não é verdade?!

Outra queixa comum é a arranhadura, uma necessidade natural e básica dos gatos.

Os gatos arranham para deixar marcas olfativas e visuais para eles mesmos e para outros gatos. Eles depositam feromônios (substâncias químicas que promovem reações específicas em indivíduos da mesma espécie) através da arranhadura (existem glândulas na região das patinhas, bochechas e lateral do corpo) e também se esfregando em pessoas e objetos.

Alguns feromônios significam medo, segurança, tranquilidade.

As arranhaduras nos sofás não são somente uma forma de “tratar das unhas”, são marcação de território! É como se eles deixasse bilhetinhos com informações importantes espalhadas pela casa.

Precisamos oferecer arranhadores adequados (nem sempre é aquele que compramos!) e posicioná-los em locais estratégicos da casa. Não adianta colocar o arranhador na area de serviço, por exemplo…eles devem ficar próximos a entrada da casa, ao local de alimentação, nas passagens (corredor, por exemplo) e ao local de descanso favorito do gato.

Quando conseguimos suprir as necessidades básicas dos nossos animais de estimação, eles tendem a ser mais felizes e a convivência conosco também é muito mais harmônica!

Cães:

. Brincar

. Roer

. Passear (cães são animais sociais, eles precisam interagir com outros cães, mesmo se vivem num ambiente espaçoso)

. Água fresca à disposição

. Pelo menos duas refeições por dia – de preferência de forma ativa, como oferecer brinquedos recheados com alimento, procurar alimento pela casa, dar aos pouquinhos enquanto exercita e desafia seu cão a conseguir executar tarefas e/ou dificuldades

. Regras claras! Pode ou não pode subir no sofá?

. Cuidados veterinários

. Muito amor e carinho! Esta é a parte mais facil!

Gatos:

. Acesso garantido e um banheiro (bandeja sanitária) sempre limpo

. Várias pequenas refeições por dia

. Local de descanso sossegado

. Água muito limpa e fresca à disposição

. Locais altos para garantir um posto de observação inacessível

. Brincadeiras, de preferência as que imitam a caça

. Escovação frequente – para ajudar a limpar a pelagem

. Cuidados veterinários

. Muito amor e carinho…

Antes de interpretar alguns comportamentos inadequados do(s) seu(s) animal(is), pense bem se ele está com a qualidade de vida satisfatória, recebendo tudo que precisa.

Se você ainda não tem um animal de estimação, pense e reflita antes de decidir ter…você é capaz de oferecer estes itens básicos para seu futuro amor peludo?

Leia mais →
cat-playing-food

Sabemos que nossos gatos são descendentes de gatos selvagens e por este motivo, eles mantém alguns comportamentos primitivos.

Já escrevi sobre o comportamento caçador dos gatos, quando geralmente ganhamos uma baratinha ou lagartixa de presente! Argh! Para ler o post, clique aqui.

Mas porque será que alguns gatos apresentam comportamentos estranhos para se alimentar?

Alguns gatos retiram a ração do pote com as patas, carregam para comer em outro lugar, cavam (às vezes no chão do apartamento) para enterrar seu alimento e até saem pela casa brincando com o alimento, como se fosse uma bola ou um brinquedo.

Todos estes comportamentos se explicam quando pensamos que os ancestrais do nosso gato doméstico precisavam traçar um plano, perseguir e atacar sua presa para se alimentar.

Estes instintos caçadores permanecem muito fortes e presentes em alguns animais.

Mesmo se o seu gato vive sozinho, ele pode preferir se isolar para comer de forma protegida, sem o risco de ninguém roubar sua refeição.

Se você tiver muitos gatos e algum deles demonstrar este comportamento, considere alimentá-los separadamente para diminuir a tensão e o estresse.

Outra dica baseada na observação de gatos selvagens, é deixar os potes de água e comida separados. Eles preferem!

A explicação ancestral é que eles afastavam sua presa para não correr o risco de contaminar a água de beber com os restos de sangue, penas, pelos da caça. É impressionante como eles aprenderam depois de muitas (eu imagino) gerações que a água contaminada poderia levá-los a adoecer.

Pode ser que seu gato retire a ração do pote simplesmente por não gostar do pote!

É difícil ter certeza das razões para os gatos apresentarem estes comportamentos estranhos em relação à comida, então vale a pena testar: troque o pote, afaste-o do pote de água, alimente seu gato separadamente.

Se o seu gato é muito exigente para comer, clique aqui.

Se nada disto adiantar, não se aborreça!

Quando entendemos os motivos fica até interessante… eu recomendo que você e sua família observe e contemple os traços selvagens dos gatos!

 

 

Leia mais →
poodle cacador

O comportamento predador dos cães não faz parte somente do passado selvagem desta espécie.

Apesar deles não precisarem mais caçar para se alimentar, todos os cachorros possuem habilidades físicas, sensoriais e podem se interessar por caçar.

Mas sabemos que nem todo cachorro se interessa e/ou é capaz de realmente caçar.

Alguns fatores são muito importantes, como a tendência da raça (os cães pastores são muito motivados, por ex.), a experiência (o sucesso de ter conseguido caçar é um reforço enorme!), a real oportunidade (estar livre num local com presas potenciais) e a presença ou não de outros cães para formar uma matilha.

A motivação também é muito importante!

Originalmente, a motivação para caçar era a fome, mas atualmente os cães são alimentados por nós humanos (mesmo os cães abandonados tendem a comer nossos restos ao invés de caçar).

Um cão com fome é capaz de procurar, achar e capturar sua presa. Eles são tão preparados para esta função, que acionam todos seus sentidos e habilidades: memória, mapas mentais, olfato (muito mais poderoso que o nosso!) e visão. Para saber mais sobre os sentidos caninos, clique aqui.

Numa situação de caça real, os cães tendem a trabalhar em grupo (6- 10 animais adultos) cercam a presa e quando conseguem pegá-la, devoram o máximo possível de uma só vez mesmo que não consigam comer aquilo tudo. Assim que eles voltam para o grupo, podem regurgitar o alimento para os cães que ficaram “em casa”, geralmente as cadelas com suas ninhadas.

Os instintos predadores dos nossos cães domésticos ainda persistem, mas de maneira bem mais suave que seus antepassados.

Algumas raças, especialmente aquelas de esporte e/ou trabalho costumam ter estas características mais trabalhadas e desejadas. A maioria das habilidades demonstradas por estas raças são nada mais nada menos que instintos de caça adaptados. Exs: Border collie, Pastores, Golden Retrievers.

Muitas atitudes da rotina dos cães também são diretamente ligadas a capacidade de caçar:

  • perseguir, carros, skates, motos, crianças
  • sacudir um bicho de pelúcia, pelo pescoço (esse movimento é para matar!)
  • brincadeiras de buscar bolas, frisbees
  • mordiscar calcanhares de pessoas que se afastam
  • cavar buracos na terra
  • “organizar” brinquedos e objetos num canto, como se fossem ovelhas (!)

Quando pensamos que o nosso cachorro, membro da família, sabe caçar, podemos ter problemas…as galinhas do vizinho, os patos do lago da parque…os animais silvestres da floresta…

Como fazer?

A modificação do comportamento predatório é um dos maiores desafios. É possível diminuir a intensidade e a frequência, mas é preciso trabalhar muito e é provável que após um tempo sem treinos, o animal volte a caçar.

Caçar faz parte da carga genética canina e melhor que tentar interromper este comportamento, é entender que ele é natural.

O ideal é canalizar esta habilidade do cachorro para brincadeiras e atividades evitando acidentes.

No caso de risco de acidentes com os animais dos vizinhos, cerque sua casa e deixe seu cão preso se não for capaz de controlá-lo.

Animais que vivem em áreas de floresta não podem circular livremente, o principal predador dos animais silvestres da Floresta da Tijuca, RJ, são os cães!

A responsabilidade por este tipo de acidente é sempre dos humanos.

Conheça bem seu cão e tome as medidas necessárias para evitar acidentes.

 

 

Leia mais →
gato caçador

Caçar é um comportamento natural dos gatos.

Nosso gato de estimação evoluiu dos gatos selvagens, que são caçadores perfeitos.

Eles foram desenhados evolutivamente para perseguir, caçar e matar pequenas presas como pássaros, pequenos roedores, insetos, lagartixas, baratas…

Sabemos que nossos gatos não precisam caçar para se alimentar, mas a diversão e a emoção que a caça proporciona continua muito presente e forte na vida deles.

O aprendizado e o exercício de perseguir de forma silenciosa, paciente e cuidadosa para depois dar o bote é muito importante para o desenvolvimento do gato.

O gatinho filhote precisa aprender como caçar com sua mãe e irmãos .

Sabemos que se um filhote não tiver esta oportunidade durante as primeiras 7 semanas de vida, tem maior chance de ser um gato “caçador de calcanhares”!

Para evitar este comportamento, leia o texto sobre “Brincar de morder”, clicando aqui.

Mas o que fazer quando ganhamos de presente uma barata semi-morta, delicadamente depositada no nosso colo?

Argh!

Nossa tendência natural é gritar, sair correndo e ainda dar uma bronca no gato!

Mas se for possível controlar sua reação, evite fazer um escândalo e jamais brigue com seu gato.

Tente se lembrar que para ele, a caça é um troféu e ele está muito orgulhoso desta façanha!

Se você não fosse de confiança, ele nunca entregaria um bem tão precioso a você!

Mas se esta situação é recorrente e seu gato está colocando em risco a vida de animais silvestres (ou passarinhos do vizinho), podemos tentar minimizar este comportamento, redirigindo a energia dele.

Adquirir outro gato pode ser interessante para satisfazer os instintos de caça através de brincadeiras entre eles, mas muitos cuidados devem ser tomados.

Antes de adotar outro gato, leia os textos:

Gatos, quanto mais melhor????

Introduzindo um Novo Animal na Casa

Mantenha seu gato dentro de casa. Já postei um texto sobre este assunto. A liberdade é inimiga da segurança! Saibas as diferenças do estilos de vida “livre” e “confinado”, clicando aqui.

Considere colocar um guizo na coleira do seu gato. A maioria das presas vai perceber a presença dele pelo barulho e fugir, frustrando o sucesso da caça.

Mantenha seu gato sempre bem alimentado. Não sentir fome é um motivo a menos para despertar instintos caçadores!

 

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato