filhotes comendo

A decisão já foi tomada, você e sua família se planejaram, a espécie e a raça foram escolhidas e chegou um novo integrante para a família.

E agora? Como cuidar do filhote?

Inicialmente, peça orientação para a pessoa que lhe vendeu ou doou o animal. É importante saber se o filhote já foi vermifugado, se tomou alguma dose de vacina e qual alimentação ele está recebendo.

Alimentação

Considerando que o filhote já está desmamado, em geral por volta dos 45-60 dias, podemos começar a oferecer alimento.

Às vezes a mãe não é capaz de amamentar até esta fase (especialmente se a ninhada é muito grande) e precisamos usar uma papinha de desmame antes dos 45 dias.

Para oferecer uma boa dieta, equilibrada e balanceada, o mais prático é  alimentar o filhote com ração seca. Existem opções de dieta caseira, mas ela deve ser formulada por um médico veterinário. Se você quiser trocar a marca da ração oferecida anteriormente, faça uma mudança gradual. Misture a ração antiga com a nova aos poucos até a substituição completa (aproximadamente 5 dias).

Se o filhote ainda não conseguir comer os grãos da ração, procure uma fórmula de desmame nas pet shops (alimento em pó para misturar com água e fazer uma “papinha”).

Não ofereça leite de vaca. A maioria dos filhotes de cão e gato apresentam fezes moles e até diarreia (para saber mais, clique aqui).

A água deve ser oferecida à vontade. No começo os filhotes quase não bebem água e fazem uma bagunça danada.

Se quando ele crescer continuar derramando água do pote, considere usar um bebedouro para cães. Existem diferentes tipos, que se adaptam às torneiras ou de bilha para o animal lamber a água. É necessário ensinar o cão a usar estes bebedouros! Para saber mais sobre bebedouros, clique aqui.

Eles devem comer ração de boa qualidade para filhotes e não precisam de suplementação vitamínica (Cálcio, Ferro etc). A idade para mudar a ração “de filhotes” para “adultos” varia de acordo com o porte do animal. Os cães de raça grande, em média, aos 18 meses. Os de raça pequena, aos 12 meses.

Os gatos podem ter que mudar a ração para “adultos” logo após a castração, especialmente em animais com tendência para obesidade.

Não devemos oferecer alimento humano para cães e gatos por 2 motivos: nem todos são seguros para os animais e também para não criar um mau hábito. Em geral, nossa comida é mais saborosa e cheirosa. Os animais já demonstram interesse só de sentir o aroma. Se eles provam…ferrou! Vão sempre querer ganhar um pedacinho. Se o alimento em questão for seguro, não teria problema, mas a tendência é seu animal insistir muito e até te chatear para ganhar um pouquinho. Neste caso, se você quiser oferecer um pedaço de fruta ou legume, por exemplo, coloque no prato do seu cão ou gato. Assim, ele não vai achar que basta implorar e olhar para cima que ele ganha um petisco!

O filhotes de cães devem comer, inicialmente, 4 vezes ao dia. Em seguida (aproximadamente aos 4 meses), 3 vezes e a partir de 5-6 meses, 2 vezes ao dia. Cães não devem comer somente uma vez ao dia, em nenhuma fase da vida.

Gatos beliscam o dia todo, precisam ter alimento disponível, mas com a quantidade controlada.

A quantidade de alimento diária está impressa em tabelas nas embalagens das rações. Esta quantidade varia de acordo com a marca da ração e o peso do animal.

A obesidade deve ser evitada. É muito mais fácil não deixar um animal engordar do que emagrecê-lo depois.

Saiba mais sobre obesidade, clicando aqui.

Os animais adoram atenção e o ser humano adora alimentar, esta combinação é perigosa! A cada vez que o animal pede atenção, nós interpretamos como fome e oferecemos algum alimento. Desta forma, ele aprende que toda vez que ele pede, ganha. Isto vira um ciclo vicioso. Experimente brincar, escová-lo ou fazer carinho neste momento, ao invés de alimentá-lo.

Vermifugação

Todo filhote deve ser vermifugado, em geral a partir de 15 dias, mas depende muito da droga a ser utilizada. Converse com o veterinário e com a pessoa que te deu ou vendeu o animal. Na dúvida, vermifugue novamente, de acordo com o peso do seu filhote.

Se o seu filhote estiver com as fezes moles ou com diarreia, leve-o para atendimento veterinário.

Vacinação

O programa inicia aproximadamente aos 45 dias, tanto em gatos como em cães. As doses seguintes devem ser aplicadas com intervalo de 3 a 4 semanas. A anti-rábica deve ser aplicada junto com a última dose da vacina, aproximadamente aos 4 meses de vida do filhote.

Os cães são vacinados contra: hepatite, adenovirose, cinomose, parvovirose, parainfluenza, coronavirose e leptospirose.

Os gatos recebem vacina contra: panleucopenia, rinotraqueíte e calicivirose.

Existem outras vacinas, tanto para cães quanto gatos que devem ser aplicadas de acordo com a necessidade de cada animal. Alguns exemplos:

Cães- gripe canina, giardíase, leishmaniose

Gatos- leucemia felina, clamidiose

Os filhotes só devem entrar em contato com animais desconhecidos ( não sabemos se foram vacinados ou não, se estão saudáveis ou não) e com um ambiente possivelmente contaminado (chão com fezes,urina e secreções de animais doentes – rua) após tomarem a última dose da vacina específica para cada espécie.

A revacinação é anual. Os gatos estritamente domiciliados podem ter o intervalo entre as vacinas aumentado, converse com seu veterinário.

Para saber mais sobre vacinação, clique aqui.

Banhos

Não é verdade que filhotes não podem tomar banho. Eles não podem é sentir frio. Até aproximadamente 4 meses, os filhotes não são capazes de regular a temperatura do próprio corpo (endotermia).

Os gatos podem passar a vida inteira sem tomar nenhum banho, mas é fundamental escová-los. Acostume-o desde filhote. Use uma escova bem macia (para neném ou até mesmo escova de roupa) e se necessário, troque por outra quando ele já estiver acostumado. Comece escovando poucos minutos (ou até segundos), ofereça alimentos gostosos e vá aumentando o tempo. Assim retiramos pelos soltos (caem menos pela casa e eles engolem menos pelos quando se lambem), sujeira e inspecionamos a pele do nosso gato.

Os filhotes de cão podem tomar banho, se necessário, mas a água deve estar morna, o ambiente quente e o banho deve ser rápido. Seque-o bem com toalhas e se precisar, use o secador de cabelo. Cuidado para não queimá-lo! Coloque sempre sua mão embaixo do secador para sentir a temperatura. Se estiver te incomodando, afaste ou diminua a temperatura.

Prefira sempre xampus e sabonetes específicos para animais e evite os inseticidas. Existem várias opções seguras de produtos contra parasitos (pulgas e carrapatos), não precisamos correr o risco de intoxicá-los com talcos, xampus e loções.

A ideia é que o cão tome o menor número de banhos possível! Você pode escová-lo e usar lenços umedecidos para aumentar o intervalo entre os banhos e mantê-lo limpo e cheiroso.

Saiba mais sobre banhos aqui.

Evite usar perfume. Além do risco de alergias, o cão fica com o olfato prejudicado se estiver com um cheiro forte no próprio corpo.

Dentes

Escovar os dentes é fácil, se o seu filhote for acostumado desde cedo. Comece com uma escova bem macia, por alguns segundos e premie seu animal com um petisco ao final de cada escovação. Aos poucos vá aumentando o tempo até conseguir escovar todos os dentes. Todos os filhotes de cães e gatos trocam os dentes, assim como as crianças! Aproximadamente aos 4 meses, ocorre esta substituição. Nem sempre percebemos o dente mole e a “janelinha” porque o dente definitivo substitui o dente de leite somente quando este está pronto para cair. As vezes o dente cai no chão, as vezes é engolido…sem problemas. Mesmo sabendo que eles vão trocar a dentição de leite pela definitiva, vale a pena iniciar cedo, para eles acostumarem. Se possível, escove os dentes do seu animal, diariamente.

Pulgas,  Carrapatos e Filariose

Converse com seu veterinário.

Existem produtos seguros (que não são tóxicos) que devem ser aplicados de forma preventiva, mensalmente.

Antes de levar seu animal para passear pela primeira vez, use um produto para evitar que ele leve parasitos para sua casa.

A filariose é uma verminose transmitida por mosquito, que se instala no coração de cães (nos gatos é raro, mas possível). Existem áreas endêmicas (aqui no RJ, a região dos lagos, por ex.) e outras com menor incidência – converse com seu veterinário.

A filariose também deve ser prevenida mensalmente.

Obediência

Os filhotes são completamente capazes de aprender, mas precisamos ter paciência e persistência.

Quanto antes eles souberem o que nós esperamos deles, melhor.

É muito comum as pessoas deixarem o filhote fofo e limpinho subir na cama, no sofá etc. Assim que ele cresce um pouquinho, mudam de ideia. Assim ele fica confuso!

Mostre o que pode e o que não pode, desde cedo. Quantas vezes ele subir no sofá proibido, mande-o descer.  Se for necessário interferir para interromper a ação, saia do ambiente ( a tendência é ele sair atrás de você) ou retire-o do ambiente. Assim ele vai perceber de forma clara que sempre que ele age de forma inadequada, ele perde sua companhia.

Para evitar que os gatos subam nas bancadas da cozinha, na mesa de jantar etc, devemos retirá-los imediatamente. Saiba que este é um comportamento natural dos gatos e esperar que ele não suba pode ser frustrante!

Não devemos nunca causar medo num filhote para ensiná-lo.

Para ensinar os filhotes de cães a usarem uma área específica pra urinar e defecar, clique aqui e leia o texto.

Os gatos costumam usar a caixa sanitária, espontaneamente. Mas ajuda muito posicioná-la em um local tranquilo (longe da maquina de lavar ou de uma área com muita circulação de pessoas ou animais) e mantenha-a limpa. A conta básica é uma caixa para cada gato da casa, mais um. Ela deve ter um tamanho mínimo para caber o gato inteiro dentro dela.

Acostume seu cachorrinho a usar a coleira e a guia em casa, antes mesmo de poder passear na rua. É muito frequente o primeiro passeio na rua ser quase um quadro de humor…o filhote empaca, se embola nas nossas pernas, enfim, não custa nada treinar um pouquinho em casa antes de sair para rua.

SEMPRE LEVE SACOS PARA RECOLHER AS FEZES DO SEU CACHORRO DA RUA.

Considere adestrar seu cachorro. A obediência básica se conquista em pouco tempo e transforma a relação do cão com sua família. Um cão educado pode acompanhá-lo a passeios, festas e casas de amigos. Não temos o direito de incomodar quem não gosta ou quem tem medo de animais. É responsabilidade da família ensinar seu animal a não pular e não latir exageradamente.

Você pode adestrar seu cão sozinho ou com ajuda de um profissional (fica bem mais fácil!).

Esterilização

É recomendável castrar as fêmeas de cães e gatos antes do primeiro cio para evitar o surgimento de tumores de mama no futuro. Em geral, o primeiro cio ocorre em torno dos 6 meses de vida.

Os machos de gato, costumam urinar na casa para marcar território e procurar qualquer alternativa para fugir e sair para cruzar, considere castrá-lo precocemente.

Saiba mais sobre esterilização clicando aqui.

Enriquecimento Ambiental e Diversão

Os filhotes precisam de muita atenção e brincadeira. Se você não tem tempo ou disposição, desista de adotar ou comprar um.

Existem brinquedos de todos os tipos e tamanhos. Cuidado com aqueles que soltam pedaços que podem ser engolidos. O ideal é que a brincadeira seja sempre iniciada por nós, humanos. Deixar uma cesta de brinquedos, parados num canto não é brincar. Chame seu animal e comece a jogar uma bolinha ou puxe uma cordinha para seu gato “caçar”. O momento de encerrar a brincadeira também deve ser determinado por nós, a não ser que seu filhote esteja precisando de uma pausa para descansar.

Os gatos gostam muito de “postos de observação”. Você pode deixar uma prateleira vazia ou até mesmo instalar algumas para ele ficar olhando o mundo lá do alto. Veja alguns exemplos, clicando aqui .

Ofereça um arranhador para ele renovar suas unhas, deixar suas marcas e evitar arranhar seus estofados. Se ele não estiver usando o arranhador, posicione-o próximo ao móvel preferido e corrija-o sempre que ele arranhar o móvel. Aplicar um pouco de catnip (erva do gato, saiba mais aqui) no arranhador também ajuda (para saber mais sobre arranhadores, clique aqui).

Os cães precisam passear. Por mais que seu animal seja pequeno ou sua casa muito grande, os passeios são fundamentais. Na rua, os cães são estimulados (percebem e deixam odores, escutam sons diferentes), socializam com outros animais e pessoas, além de fortalecer os laços com seu tutor. Saiba mais sobre passeios, aqui.

Estas orientações são uma base para uma parceria harmônica e para seu animal crescer de forma saudável.

Converse com um/uma veterinário/a e tire todas as suas dúvidas!

Leia mais →
Cat-friendly-House-Design-6

Todos sabemos que a liberdade é uma maravilha.

Mas tem seu preço.

No caso dos gatos, esta questão é muito importante.

As estatísticas mostram que o gato de vida livre ou o gato com acesso à rua, vive em média 4 anos.

O gato confinado, 14 anos!

É MUITA diferença.

Atualmente, os gatos são considerados membros da família e queremos o melhor para eles.

Mas o melhor não é só segurança. A qualidade de vida também é fundamental.

Vamos aos prós e contras de um gato sair para passear:

CONTRAS:

  • brigas com outros gatos – além dos machucados, mordidas e arranhões podem transmitir doenças, que ainda não temos vacinas eficazes para protegê-los
  • acidentes – atropelamentos, risco de ficar preso em alguma passagem apertada ou buraco, o cachorro do vizinho pode machucar seu gato
  • envenenamento – as pessoas costumam misturar veneno contra ratos em alimentos, os gatos podem ingerir
  • maus tratos – infelizmente existem humanos que maltratam gatos
  • fome – um gato na rua pode sentir fome e sede
  • predadores – gatos podem matar passarinhos, pequenos macacos e outras formas de vida selvagem
  • GESTAÇÕES INDESEJADAS – se o seu gato for macho, não castrado, ele pode acasalar e gerar uma ninhada de gatinhos, com grande chance de não terem onde morar

– se sua gata não for castrada, pode voltar grávida de um simples passeio…

 

PRÓS:

  • liberdade para escalar, explorar, correr e ter uma vida rica em estímulos

Mas como resolver este dilema?

LIBERDADE X SEGURANÇA

Acredito que a melhor maneira é oferecer para os gatos, a segurança das nossas casas com opções de diversão e atividades, semelhantes as da vida livre.

Podemos conseguir esta situação ideal, promovendo um enriquecimento ambiental em nossas casas com prateleiras altas e espaços tridimensionais. (leia o texto: http://www.bichosaudavel.com/enriquecimento-ambiental-gatos-mais-felizes/)

Os gatos também devem receber atenção e carinho, além de brincadeiras (algumas sugestões: http://www.bichosaudavel.com/sugestoes-de-brinquedos-para-gatos-entediados-gordos-etc/)

Gatos gostam de companhia. Que tal ter 2 gatos? Saiba como adaptá-los: http://www.bichosaudavel.com/introduzindo-um-novo-animal-na-casa/

Eles são capazes de aprender a andar de coleira e guia, mas precisam se acostumar aos poucos (prometo um texto sobre adestramento de gatos, brevemente).

Se você mora em apartamento, é fundamental proteger as janelas com telas, os gatos podem sair para passear ou pior, sofrer um grave acidente ao cair de uma altura grande (http://www.bichosaudavel.com/gatos-e-janelas-combinacao-perigosa/).

Para quem mora em casa é possível construir um espaço seguro, no jardim, para os gatos escalarem as árvores e espaços altos, sem riscos.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

 

Leia mais →
catfriendly house 10

Sabemos que a liberdade oferece riscos.

Deixar os gatos livres para passear é muito arriscado. Eles podem ser atropelados, envenenados, brigarem com outros gatos ou serem atacados por um cão. Isto sem considerar a queda de um prédio alto.

Aplicar telas nas janelas e varandas é a maneira mais segura de ter gatos na cidade grande, mas e a vida deles? Não fica muito sem graça e sem estímulos?

Com certeza, fica. Mas podemos ajudar.

Para incrementar a vida do(s) seu(s) gato, ofereça brinquedos interativos, pendure cordinhas na janela e/ou portas, jogue bolinhas, brinque com laser point e escove-os diariamente.

A sua casa também pode ficar mais interessante para seu(s) gato(s).

Eles gostam muito de ver o mundo de cima e de ficar em um local seguro e protegido. Por isso eles gostam tanto de subir em árvores, geladeiras e qualquer móvel alto.

Instale prateleiras em uma parede livre de maneira que forme uma escada para seu gato. Existem opções simples (estreitas e baratas) nas lojas de material de construção e de móveis para casa. Se já existe uma prateleira que seu gato alcança e ele consegue subir pelos outros móveis, deixe um espaço vazio para ele usar como “posto de observação”. Se possível, coloque um tapete ou paninho, ele vai gostar mais ainda.

Também é possível criar acessos de um cômodo para o outro sem precisar abrir a porta. Existem passagens para instalar na porta (igualzinho a dos filmes) mas também podemos abrir um buraco na própria parede.

Os arranhadores e camas disponíveis para gatos agradam muito e os modelos altos são os preferidos. Também é possível criar um “parque de diversões” cobrindo colunas com sisal. Os gatos escalam como se fosse uma árvore! Saiba mais sobre brinquedos e arranhadores, clicando aqui.

As janelas são uma ótima fonte de distração, mas fechadas ou com tela, é claro. Existem suportes para o gato ver o mundo pela janela e até redes, como as nossas nordestinas, em miniatura.

As caixas de papelão também são uma ótima opção. Os gatos adoram se esconder. Existem verdadeiros “castelos para gatos”, disponíveis no mercado de petshops.

Por que os gatos gostam tanto de caixas? Saiba mais em, clicando aqui.

Solte sua imaginação!

Veja aqui alguns exemplos de casas planejadas para agradar os felinos (é possível clicar em cada foto para vê-la com detalhes):

cama na janela

cama na janela

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato