labrador obeso

Clique no Play para ouvir o boletim veterinário no Programa da Isabella Saes, do dia 11/04/13.

Leia mais →
gato-obeso

Os animais também estão sofrendo de obesidade, assim como os seres humanos.

A obesidade causa sobrecarga sobre as articulações, dificuldades locomotoras e respiratórias, além de aumentar o risco do animal desenvolver doenças como diabetes, artrite e cancer.

A definição de obesidade é: acúmulo excessivo de gordura corporal.

Muitos cães e gatos são obesos. Na maioria das vezes, os proprietários não reconhecem e só se dão conta quando levam seus animais para consulta veterinária, por um outro motivo.

A principal causa da obesidade é a ingesta exagerada de alimentos e a falta de exercícios. Quando se come mais do que se gasta, este excesso é acumulado no corpo como gordura.

É melhor avaliar a obesidade visualmente, olhando o corpo do animal. Quando usamos o peso como referência, podemos cometer enganos.

Os cães e gatos, mesmo os da mesma raça, podem variar muito de tamanho e peso. Conheço poodles, yorkshires, labradores e siameses (assim como tantas outras raças) de diferentes tamanhos.

Não podemos ter um peso ideal para cada raça sem considerar estas variações.

A silhueta corporal ainda é a melhor maneira de avaliar.

obesidade em cães e gatos

 

 

 

 

 

Quando olhamos o animal de cima, devemos perceber uma “cintura” após o gradil costal (costelas). Se ela estiver muito marcada, o animal está magro. Se não for visualizada, ele pode estar acima do peso ou obeso.

Se constatado o excesso de gordura corporal, precisamos tratar este animal.

TRATAMENTO

Inicialmente é importante saber se existe alguma causa específica para a obesidade. Um animal com hipotireoidismo pode ganhar peso, por exemplo.

É necessário saber exatamente o que o animal come. Se ele ganha um pão no café da manhã e bolo na hora do lanche, vai ser difícil emagrecer.

As embalagens das rações possuem uma tabela com a quantidade diária recomendada, para os diferentes tamanhos de cães ou gatos.

ATENÇÃO: esta quantidade é diária! Não para ser oferecida a cada refeição.

  • Se seu animal já está comendo a quantidade mínima recomendada, considere trocar a ração por uma opção menos calórica. Existem rações para manutenção e para perda de peso. É fundamental oferecer a quantidade recomendada. Ninguém emagrece comendo uma enormidade de alimentos light!
  • Os alimentos com alto teor de fibra e o aumento da ingesta de água, ajudam a saciar o apetite.
  • Ofereça a quantidade diária de alimento dividida em várias vezes  ao dia.
  • Aumente a quantidade de exercícios, mas cuidado com o limite do seu animal. Para exercitar os gatos, brinque bastante! A caneta laser é uma otima opção (veja outras ideias de brinquedos para gatos aqui).

A família toda precisa estar envolvida no tratamento. O ideal é uma única pessoa alimentar e todas praticarem exercícios com o animal.

Se for muito difícil parar de oferecer petiscos, considere usar os de baixa caloria ou ofereça vegetais como a cenoura, por exemplo. Alguns cães gostam de frutas, mas cuidados com as muito calóricas! A melancia e o melão são boas opções.

Os gatos costumam se viciar em comer e seus tutores se viciam em alimentar seus gatos!

Eu explico: como os gatos não fazem refeições, eles “beliscam” o dia todo, é comum miarem quando o pratinho está vazio. Mas os gatos não miam só porque estão com fome!

Eles miam para chamar atenção, para brincar, para ganharem carinho…(saiba clicando aqui), mas na maioria das vezes o tutor “entende” o miado como fome e chama o gato para comer.

Resultado: o gato recebe a atenção que precisava, mas através da comida e não da brincadeira, o que seria bem melhor!

Alguns animais podem demorar até um ano para chegar ao peso ideal. Lembre-se que perder 3 Kg para um cão de 30 Kg é 10% do peso dele. É comparável a uma pessoa de 70 Kg perder 7 Kg! Difícil, né?

Em casos mais complexos, onde a causa da obesidade é uma doença, o tratamento específico é fundamental. Não adianta só emagrecer.

Se o seu animal é diabético e está com sobrepeso, cheque com seu veterinário se a dosagem de insulina está adequada.

Se a causa da obesidade for o hipotireoidismo, o diagnóstico e o tratamento devem ser realizados, o quanto antes.

Os cães com hiperadrenocorticismo (Doença de Cushing) também apresentam obesidade, apetite voraz e abdomem volumoso.

Os gatos obesos correm um risco grande de desenvolver uma patologia chamada lipidose hepática se param de comer por algum motivo.

Evite deixar seu animal engordar. É muito mais fácil controlar o peso e não deixá-lo engordar do que emagrecer depois. Principalmente no caso dos gatos que nao se exercitam muito, nem passeiam de coleira e guia.

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato