destruicao

Os cães são capazes de fazer um estrago com os dentes, quem já teve um roedor em casa, sabe disso.

As motivações para roer são diferentes e por isso devemos considerar como um sinal ou um sintoma de outra causa.

Antes de chamar seu cachorro de destruidor, é importante entender por que ele está roendo tudo.

Os filhotes aprendem  tudo sobre seu ambiente através da boca. É como se fosse a fase oral das crianças, eles precisam colocar tudo na boca para matar a curiosidade.

Em geral, coloca-se a “culpa” na troca dos dentes. Por volta dos 4 meses, os filhotes têm seus dentes de leite substituídos por dentes definitivos. Morder tudo pode facilitar esta troca e aliviar o desconforto nas gengivas, mas este não é o principal motivo (saiba mais clicando aqui).

Os alvos da destruição são variados, podem ser os sapatos, móveis, papéis, quinas de paredes…

A primeira medida para evitar maiores estragos, é manter o filhote num cercadinho.  O filhote pode ficar no mesmo ambiente que os donos, mas sem destruir nada. Quando o filhote fica solto, é melhor retirar os itens mais valiosos (ou frágeis) do alcance dele.
Para deixar o filhote sozinho em casa por períodos mais longos, o cercadinho é muito pequeno e ele não terá como evacuar e defecar na área indicada. O ideal é deixá-lo numa área ou cozinha com opções de brinquedos para morder e se distrair.

Infelizmente, nem todos os filhotes param de roer quando crescem. Na verdade, os piores roedores são cães jovens adultos. Cães de raças esportivas (labrador, por ex.) e muito agitadas são mais propensos a destruição e podem demorar até os 2 ou 3 anos de vida para acalmar.

Os adultos que roem muito costumam ter uma razão por detrás deste comportamento.

O medo, ou fobia de barulhos altos (trovão, fogos) e a sensação de abandono são as mais frequentes. Na tentativa de escapar de casa e seguir seu dono, um cão é capaz de cavar uma porta ou parede até fazer um buraco. Para aliviar a ansiedade, um cão procura sapatos, almofadas entre outros objetos para morder. Nestes casos, não é recomendado deixar o animal confinado por causar mais panico ainda. Em geral, a ansiedade de separação (saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/deixando-o-cao-sozinho-em-casa/) ocorre assim que o animal fica sozinho e a melhor maneira de confirmar é deixando uma câmera ligada. O que observamos é um animal ansioso que começa a latir, chorar, uivar, cavar, destruir e até mesmo urinar e defecar poucos minutos depois que se percebe sozinho em casa.

Quando a causa é o medo de barulhos, a destruição só ocorre nos dias de tempestades, fogos ou tiros.

O tratamento para estes casos de ansiedade é tratar a própria ansiedade e não só se preocupar com a destruição. Devemos lembrar que se o animal está se comportando assim, é porque está desesperado, sofrendo muito. Alguns animais precisam de um tratamento complexo, envolvendo mudanças comportamento, medicação ansiolítica e dessensibilização.

Para os filhotes, o tratamento é mais simples, basta evitar o acesso aos objetos, realizar adestramento básico e oferecer bons brinquedos interativos.

Saiba mais sobre como tratar o medo de fogos, clicando aqui.

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato