Usar ou Não Usar Guia ?

s-coleira
8-dezembro-2009
bichosaudavel
  1. Veronica says:

    Meu Bobinho foi adestrado por mim, no Lord Cão e eu semprei achei seguro sair com ele na rua sem coleira. Até que um belo dia, esse forte estímulo aconteceu…. Foram anos saindo com ele, ele obedecendo, aliás, ele obedece tudo sempre, mas esse dia foi a exceção que eu não gostaria de ver nunca mais na minha vida. Ele saiu comigo, como sempre, mas de repente se afastou de mim sem motivo (pelo menos para mim) nenhum. Resultado: foi atropelado, quase morreu e hoje vive só com três patinhas. Tenho mais 2 cachorros e essa estupidez de sair de casa sem coleira nunca mais se repetirá.

  2. rtercsn451 says:

    O maior problema é “aquele” dia que, sem saber o por que o cão se distrai e não obedece.

  3. Ana Maria Duarte says:

    Tinha uma cadela da raça Labrador que era a paixão de nossas vidas. Ela adorava passear de guia, inclusive era muito conhecida no bairro onde moramos exatamente pela curiosidade das pessoas em vê-la: era uma guia no pescoço e a outra “ela mesmo” carregava na boca, como se estivesse guiando-se.
    Infelizmente nós só tivemos o “privilégio” de tê-la conosco por apenas 3 anos. Ela morreu no ano passado com
    problemas renáis.

  4. Laila says:

    Eu tenho uma coker e ela não anda direito na coleira, só anda virada mordendo a coleira o tempo todo, gostaria que ela andasse normal, olhando para frente, desse jeito ela já estragou várias coleiras… tem alguma dica para esse comportamento??

  5. rtercsn451 says:

    Oi Laila,

    te recomendo um bom adestrador, se necessario te indico alguns.
    Me avise
    Abraço
    Rita Ericson

  6. lori says:

    Olá,
    meu cachorro é pastor alemão de 1 ano e meio.Até 6 meses atras passeavamos todos os dias,normalmente.Como tive mudanças no horário de trabalho,passei 6 meses sem tempo de leva-lo para caminhar.Chegava tarde em casa,soltava ele somente a noite para brincarmos.Mas mesmo preso,deixava uma guia extensa,para q ele tivesse mobilidade total e aproveitasse o possível.E sempre q preciso sair rapidinho,levo ele junto pra dar uma volta de carro(ele adora).Mas agora,q tenho tempo de sobra ele não sabe mais passear,parece q desacostumou.Fica puxando bastante,sempre apressado.Da última vez,puxou tanto que ficou de língua roxa,viemos as pressas pra casa,chegando,não conseguia tomar água,teve q deitar e recuperar o folêgo primeiro.Fikei muito assustada,e nao consigo mais leva-lo,tenho medo dele morrer asfixiado.
    O que fazer?.Na ida ao veterinário,relatei o q houve,ele me orientou q levasse comigo um petisco,que o cachorro iria se comportar sabendo da recompensa.E não funcionou.A cena se repetiu.
    Não sei o que fazer,já procurei em vários sites uma solução e nada.
    Se vc puder me ajudar,agradeço desde já.
    Lorena Arruda

  7. denis says:

    Olá, tenho 1 rotwellier com 5 meses.ele ñ gosta de andar na guia,quando boto a guia nele ,ele ñ sai do chão por nada.e quando chegamos em casa .ele começa a ficar mt excitado,e começa a latir e rosnar ao mesmo tempo, mordendo a mãos e pés como faço pr’ tirar isso dele?

  8. Rita Ericson says:

    Olá Denis,
    ele deve ser adestrado. É muito comum o cão estranhar andar na guia nos primeiros passeios.
    Experimente levar pequenos pedaços de petisco e vá oferecendo aos poucos, a cada “metro” que ele ande.
    Quanto à excitação, ele precisa aprender a se comportar, ser ensinado e ficar de castigo sempre que apresentar agressividade (http://www.bichosaudavel.com/agressividade-caes-e-gatos/).
    Abraço
    Rita Ericson

  9. Catarina Godoy says:

    Adotei um cachorro, tirei-o da rua. Durante a semana eu passeava com ele na guia, já nos finais de semana ele ia solto, pois eu tinha pena, pensava que antes ele vivia solto na rua e agora era preso o tempo todo. Um dia (solto) ele viu um cachorro do outro lado da rua e atravessou, o resultado foi que um carro em alta velocidade o atropelou. A sorte foi que o carro não pegou de frente, só a lateral do veículo encostou em Chuck e ele girou no asfalto, todos os ferimentos que ele teve foram ocasionados por este giro. Logo depois do acidente ele saiu correndo feito doido para casa.
    Percebi que ele se sentia confiante sem a guia desde que eu ou meu marido estivéssemos por perto, aí se aventurava mais.
    Comecei a treiná-lo com alguns comandos tipo “fica” quando não podíamos atravessar a rua e “vai” quando pode atravessar. Agora eu continuo soltando Chuck, mas só solto ele à noite, depois das 11, 12 horas, e só na praça em frente à minha casa, isso porque a praça é vazia, não tem o risco dele correr em direção a alguém e não tem movimentação de veículos. Já os comandos foram para ele não sair da região da praça. Fora estes passeios noturnos, que não são possíveis a qualquer um e nem a qualquer cidade, tenho muito medo de deixá-lo solto.
    Meu conselho é não deixar o animal sem a guia, sair bastante para ele acostumar (e lógico, ficar contente) e treiná-lo.

  10. Rita Ericson says:

    Catarina,

    se todos os donos de cães se dedicassem e fossem esclarecidos como você, os cães seriam mais felizes e saudáveis…
    abraço
    Rita Ericson

Faça sua pergunta!

A imagem é linda, harmonica, o dono e seu cão, felizes, passeando em total liberdade!
QUE PERIGO!!!!!
Por mais adestrado, educado e obediente que o cachorro seja, não podemos garantir que ele não responderá a um forte estimulo.
Imagine um rato, um gato, um pombo ou uma femea no cio do outro lado da rua…pode ser fatal.

Neste momento o animal segue seus instintos e as vezes nem escuta seu dono, quanto menos o obedece.

O medo também pode gerar comportamentos estranhos como dar um “pinote’ ou sair correndo. Também não podemos esquecer que existem pessoas fóbicas, com muito medo de cachorro. Elas tem o direito de andar na rua sem se sentirem ameaçadas.
Infelizmente, nos muitos plantões da minha vida, atendi alguns animais atropelados e posso garantir: nenhum deles estava usando guia.

Adoro a possibilidade do cão correr, solto, mas infelizmente não temos parques que permitam o acesso de cães no Rio de Janeiro.

Quanto às praias, é proibido o acesso por motivo de saúde pública, mas sou favorável a designar um trecho ou a Praia do Diabo para liberar nossos peludos. MAS TOME CUIDADO COM AS BRIGAS, A PROBABILIDADE É MAIOR SE OS CÃES  ESTIVEREM SOLTOS .

Para acostumar um filhote, que nunca usou coleira e guia, inicie em casa, antes mesmo dele estar liberado para passear. Coloque por alguns momentos, “ensaie” e recompense-o com petiscos caninos. Ele deve associar a guia a uma sensação agradável.


Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato