cerenia kombi

A Cinetose, também chamada de enjoo de movimento é uma condição que se caracteriza pela sensação de enjoo ou náusea quando se anda em qualquer meio de transporte (carro, barco, avião, trem), ou quando o corpo se movimenta de forma não habitual, perturbando o sistema vestibular, responsável pelo equilíbrio.

Esta condição é muito comum em crianças e em…cachorros!

Nada menos relaxante numa viagem do que ver seu animal enjoado, babando e ter seu carro todo vomitado!

Na maioria das vezes, os sintomas cessam assim que o carro para de andar, mas se sentir enjoado sempre que anda de carro, pode fazer com que seu cachorro não goste nem de entrar no carro!

Existem algumas maneiras de lidar com a cinetose.

O ideal é acostumar seu cão a entrar no carro para pequenos passeios, com o trajeto curto, sem muitas curvas e andando em velocidade baixa.

Este treinamento pode fazer seu cão perder o medo e o desconforto aos poucos, especialmente quando o destino final do passeio é agradável, como um parque ou uma praça.

O habito de entrar no carro só para programa chato, como tomar banho (se ele não gosta, é claro) ou tomar vacinas pode ter o efeito contrário: seu cachorro passa a ter certeza que andar de carro é um péssimo programa…

Como temos cada vez menos tempo para dedicar aos nossos animais, não podemos deixar que um problema como este acabe limitando nossas viagens e passeios. Há quem deixe de levar seu cão para algum programa, para evitar que ele fique enjoado e suje o carro todo.

Se o seu cão enjoa e você já tentou acostumá-lo ao carro aos poucos, talvez ele precise ser medicado.

As drogas indicadas para o enjoo humano devem ser usadas com cautela nos animais, pois as dosagens são muito diferentes e um erro pode levar a alguns efeitos indesejados.

A melhor opção para prevenir a cinetose é uma medicação de uso veterinário, chamada Cerenia, facilmente encontrada nas petshops.

Mas é importante que ela sejam administrada 2 horas antes do passeios de carro e o animal deve estar em jejum há pelo menos 1 hora.

Converse com o(a) veterinário(a) do seu cão.

O hábito de colocar a cabeça para fora do carro, sentindo o vento e olhando para fora também pode ajudar, mas CUIDADO! Os animais devem viajar na caixa de transporte e/ou presos no cinto para maior segurança dele e de sua família.

O vento muito forte também pode causar lesões nos olhos, evite este risco.

Se a viagem for de avião, os cuidados precisam ser maiores, neste caso é importante entrar em contato com a companhia aérea e se a viagem for internacional, conhecer as regras de cada país.

Como as drogas sedativas podem oferecer efeitos colaterais, só use-as se for realmente necessário e com orientação veterinária. Durante o voo, dificilmente vai ser possível examinar e medicar um animal passando mal.

Para mais dicas sobre viagens com animais, clique aqui.

Leia mais →
encontro 211217

No dia 21/12/2017, conversamos sobre animais para adoção, medo de fogos e conhecemos a linda história do cão Artur.

Clique aqui para assistir o bloco sobre adoção

Clique aqui para assistir a parte dos fogos

Clique aqui para assistir a matéria sobre um cão que trabalha num crematório para ajudar a confortar as famílias enlutadas

Leia mais →
fonte gato laranja

Quem tem gato já deve ter ouvido falar das doenças renais e da necessidade de garantir que eles bebam o máximo de líquido possível, certo?

É verdade, os gatos tendem a sofrer de problemas no sistema urinário e de fato devemos estimular que eles bebam muito líquido.

Um gato deve consumir idealmente entre 30 a 60 ml de água por kilo de peso, por dia.

Não é costume medir a quantidade que eles bebem e existe uma variação grande de acordo com a alimentação.

Mas porque os gatos bebem menos água do que deveriam?

Na natureza, os gatos fazem pequenas refeições, várias vezes ao dia.

São as presas que eles caçam –  insetos, pássaros, roedores e outros pequenos animais.

Estas presas têm o corpo constituído pricipalmente de água! Assim como nós humanos e os gatos.

Quando os gatos caçavam, grande parte da necessidade de ingerir líquidos era consumida na alimentação.

Provavelmente por este motivo, eles não têm o hábito de beber muita água.

Esta situação se agrava quando os gatos comem somente ração seca.

Por estes motivos nós precisamos oferecer e estimular que os gatos bebam o máximo possível.

Temos algumas estratégias para atingir nosso objetivo:

  • oferecer alimento úmido, todos os dias
  • gatos preferem água limpa, fresca e de prefrência, corrente! Considere oferecer uma fonte para seu(s) gato(s)
  • os potes transparentes permitem que eles tenham a certeza que a água está limpa
  • os potes de boca larga permitem que eles bebam água sem encostar os bigodes nas bordas
  • os potes cheios até a boca agradam bastante!
  • gatos podem ter medo ou não gostar de frequentar alguns cômodos da casa (perto de um outro animal ou da máquina de lavar, por ex.) – posicione o bebedouro em um local que ele se sinta seguro
  • evite posicionar o pote de água ao lado do pote de comida ou da caixa sanitária – o cheiro pode influenciar a avaliação de que a água está limpa
  • considere espalhar vários potes pela casa, especialmente se você tem mais de um gato ou se algum dos seus animais apresenta alguma doença urinária
  • ofereça gelo, dentro e fora do pote – alguns gatos adoram e até brincam com ele

Se o seu gato só come ração seca, ele precisa beber mais água.

Se ele come também alimentos úmidos, ele provavelmente vai beber menos.

Não é difícil pesar o gato e depois medir quantos mililitros (ml) têm no pote dele.

Basta anotar a hora que o pote foi enchido e medir quanto tinha no pote 12 ou 24 horas depois.

Também é importante observar se seu gato está urinando todos os dias e se esta urina tem o aspecto normal (coloração, cheiro).

Qualquer alteração deve ser checada.

Existem vários problemas urinários, hormonais e metabólicos que podem causar alterações na frequência e características da urina.

Nestes casos é fundamental que o gato receba atendimento veterinário.

A cultura popular e os desenhos animados mantém a crença que os gatos devem beber leite.

Mas muitos gatos apresentam fezes líquidas quando tomam leite.

Isto porque o açucar do leite da vaca, a lactose, não é bem digerido por gatos adultos (assim como muitos seres humanos).

Se o seu gato ama leite e quase não bebe água, podemos tentar diluir este leite ao máximo.

Se os eu gato gosta de beber água do vaso sanitário, mantenha a tampa fechada!

O ideal é oferecer água fresca, limpa e de preferência corrente.

Mas evite oferecer água na torneira – o planeta agradece e evitamos condicionar o gato a nos “exigir” abrir a torneira sempre que nos aproximamos da pia.

Existem muitos tipos de fontes no mercado – da mais cara a mais barata – e também muitos tutoriais ensinando a fazer uma fonte, usando uma simples bomba de aquario e pote de sorvete de 2 litros.

 

 

 

fonte 1fontes 2fontesfonte 3

Leia mais →
queda gato

Gatos têm sete vidas?

Claro que não!

Quem dera…

Mas de onde veio esta crença?

A agilidade, rapidez e capacidade de se livrar de encrencas faz com que os gatos pareçam ser imortais ou pelo menos muito resistentes.

Por que o número sete?

Porque 7 é um número de sorte no Brasil.  Em alguns países, o 9 é o número considerado de sorte e nestes locais, a lenda diz que os gatos têm nove vidas.

Outra teoria diz que a rainha egípcia com cabeça de gato (Bastet) tinha 9 vidas e concedeu este dom aos gatos.

Os ossos, músculos e até as orelhas do gato são perfeitamente desenhados para que ele se aprume durante uma queda e (quase) sempre caia de pé.

Mas esta habilidade não garante que eles não se machuquem!

Já atendi muitos gatos que caíram da janela, ficaram presos em motores de carros, foram atropelados, e uma infinidade de acidentes…eles sofrem, ficam realmente machucados.

Como a maioria dos animais, eles nem sempre demonstram sua dor e sofrimento. Ficam quietos, se entocam, não choram de dor.

Gatos também são muito resilientes.

Por terem todas estas características, muitas vezes são negligenciados e recebem menos atenção do que deveriam.

Os gatos não são suicidas, eles são curiosos e acabam se acidentando.

Às vezes é o sono que fica mais profundo e o gato se desequilibra no parapeito da janela. Outra situação comum é aquela esticadinha para alcançar uma borboleta e…cataploft!

Gatos precisam de cuidados e proteção.

Esta responsabilidade é nossa, dos humanos.

  • é fundamental proteger as janelas com telas, ou mantê-las fechadas
  • a castração é um ato de amor e cuidado
  • atendimento veterinário, pelo menos 1 vez ao ano
  • alimentação de qualidade
  • controle de pulgas e outros parasitos
  • brincadeiras, escovação
  • amor e carinho…esta é a parte mais facil!

Gatos não têm muitas vidas, mas podem ter uma vida longa (quase 20 anos!) e feliz!

Para saber mais sobre gatos, clique nos links:

Dor em cães e gatos

Gatos e janelas

Castração

Pulgas

 

Leia mais →
filaria

A IMAGEM DE UM CORAÇÃO CHEIO DE VERMES, PARECENDO MACARRÃO É REALMENTE IMPRESSIONANTE e REAL.

Muito conhecida como verme do coração, a dirofilariose, é  causada pela Dirofilaria immitis, e está presente em todo o Brasil e também em outros países.

Estudos recentes indicam que em algumas regiões do Brasil, mais de 20% dos cães apresenta a doença.

A verminose é transmitida por diferentes mosquitos, como Aedes, Culex e Anopheles.

O cão é o hospedeiro natural, mas outras espécies como o gato e o ser humano também podem apresentar a doença.

A filariose mais conhecida em humanos é a elefantíase, chamada assim devido ao aspecto de perna de elefante do paciente. Ela é causada por outros parasitas (Wuchereria bancroftiBrugia malayi e Brugia timori), que se alojam nos vasos linfáticos causando edema.

A melhor forma de evitar a filariose em cães é a prevenção.

Desde a década de 90 existem medicações preventivas disponíveis no mercado pet, mas nem todos os cães recebem este prevenção.

A maioria dos preventivos deve ser usado mensalmente e muitas famílias acabam esquecendo e deixando seu animal desprotegido.

A Zoetis lançou o Proheart, que é uma prevenção segura e duradoura, com duração de um ano.

Ele deve ser aplicado pelo veterinário(a), a partir de 9 meses de idade.

proheart zoetis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Na fase inicial da doença, não percebemos nenhum sinal, mas em seguida os sintomas são similares aos das doenças cardíacas: cansaço, tosse, dispnéia e síncope (desmaio).

Alguns animais podem desenvolver ascite (barriga d`água) e congestão de órgãos abdominais, relacionados à insuficiência cardíaca congestiva direita. Isto ocorre quando o lado direito do coração está repleto de vermes.

O diagnóstico deve ser realizado através de exame de sangue e/ou de imagem (ecocardiograma).

Se a doença não for prevenida, o tratamento é complexo e deve-se avaliar o estado de saúde do animal, pois há o risco de tromboembolismo pulmonar, quando a carga parasitária é alta.

Outra complicação é o fato de não haver nenhum medicamento para o tratamento da dirofilariose comercializado no Brasil.

Quando a prevenção é bem realizada, não há risco.

Leia mais →
encontro 271117

Dia 27 de Outubro de 2017, conversamos no Programa sobre as características dos vira-latas, castração e lar temporário.

Fomos premiados com a linda poesia de Braulio Bessa, sobre os vira-latas.

Veja os links:

Lar temporário e vira-latas

Castração

Cordel do Braulio Bessa – poesia com rapadura

Leia mais →
cego

Chamamos de cegueira a perda total da visão, nos 2 olhos.

A diminuição da acuidade visual pode ocorrer por diversos motivos, oculares e neurológicos.

Quando os cães e gatos apresentam alguma diminuição na visão, raramente percebemos.

O olfato e a audição destes animais são tão poderosos que eles costumam compensar a dificuldade visual. Em humanos também funciona assim.

A grande diferença é que nós, humanos, usamos a visão como principal sentido, ela nos orienta no espaço.

Os cães e gatos se orientam através do olfato, da audição e também pela visão.

Nos sentimos muito mal e sofridos quando percebemos que nosso bicho de estimação está ficando cego. É normal nos sentirmos assim, mas não é tão grave.

Eu costumo comparar um cão ou gato cego, a um ser humano sem olfato. É claro que perdemos alguns estímulos da vida, mas conseguimos viver bem.

Quando a perda da visão ocorre em somente um olho, a maioria dos animais vive normalmente. Em geral, a família deste animal nem percebe! A não ser que haja alguma alteração na estrutura do olho (tamanho, cor, secreção).

Quando a perda da visão ocorre gradualmente, como ocorre com a maioria dos idosos, os animais costumam memorizar o ambiente que vivem e se locomovem normalmente. Eles sabem aonde está a água, a comida e nem esbarram nos móveis! É impressionante!

É neste momento que precisamos tomar alguns cuidados:

  • evite trocar móveis de lugar
  • não deixe objetos grandes (malas, caixas) no caminho normal do seu bicho de estimação
  • use uma colonia com cheiro suave para marcar os obstáculos
  • o local de descanso (caminha, quarto) também pode ser “marcado” com um cheiro diferente
  • evite trocar os produtos de limpeza da casa (mesmo cheiro sempre, facilita a compreensão)
  • coloque barreiras de proteção em escadas, piscinas, varandas ou qualquer lugar que o animal possa cair e se machucar
  • facilite o acesso à agua e comida
  • utilize pisos diferentes como capachos, tapetes de borracha ou passadeiras nas soleiras das portas – o animal vai perceber aonde está pelo contato das patas

As causas da diminuição da visão podem ser muitas (doenças da córnea, da retina, do nervo óptico, uveíte, catarata,  glaucoma, alterações neurológicas entre outras).

É fundamental a definição do diagnóstico para realizar o tratamento adequado.

Nem sempre a catarata (opacidade do cristalino, aspecto azulado nos olhos, comum em idosos) deve ser tratada cirurgicamente, depende do estado geral do animal e se ele vai responder bem à cirurgia.

Se seu cão ou gato estiver coçando, esfregando e passando a pata no(s) olho(s), cuidado! Ele pode estar sentindo dor e agravar a lesão!

Os animais não têm noção da força e acabam se machucando e agravando o quadro.

Pode ser necessário usar um colar Elizabetano para proteger os olhos (saiba mais clicando aqui).

É fundamental que o animal seja avaliado por um/a veterinário/a com experiência em oftalmologia.

Olha que ideia incrível e fácil de fazer!

cao cego

 

 

 

 

 

Veja estes links para sites que ensinam a fazer esta “engenhoca” para cães cegos:

* How to Make a Collar for a Blind Dog | eHow UK

Leia mais →
encontro 111017

Dia 11 de outubro, conversamos no Programa sobre como preparar cães para trabalhar como guia de cegos e maus tratos ao animais.

Veja nos links:

Maus -tratos

Guia de cegos

encontro 111017 galera

Leia mais →
gato presente2

Muitas crianças sonham e imploram para ganhar um cão ou um gato de presente.

O Dia das Crianças é uma oportunidade para elas realizarem este sonho.

Mas os animais não são objetos, não podem ser trocados, descartados ou doados se não se adaptarem bem ao novo ambiente.

Ter um animal de estimação é uma experiência riquíssima e só mesmo vivendo e experimentando, para conhecer o amor que nasce nesta relação.

O convívio de crianças com animais é muito enriquecedor (saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/animais-e-criancas/), elas aprendem a serem responsáveis e a respeitar o limite do outro entre outras experiências riquíssimas.

O problema surge quando a família não está decidida e preparada a conviver com um animal de estimação.

Ter um cão ou gato requer dedicação, tempo, planejamento e investimento financeiro.

Mesmo que a criança se comprometa a ajudar, realizando tarefas simples (como trocar a água ou escovar os pelos), a responsabilidade é dos adultos.

Os gatos exigem menos dedicação, não precisam passear, são menos dependentes e mais silenciosos. Mas também precisam de cuidados e atenção.

Os cães precisam de MUITA atenção, adestramento básico, passeios, atividades físicas e mentais além de muito carinho.

A expectativa de vida dos cães e gatos gira em torno de 12 anos (podendo chegar a 20!) e muitas pessoas não podem se comprometer por este longo período.

Se alguém na família for alérgico, vale a pena escolher bem o tipo de pelagem (saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/sou-alergico-a-animais-mas-quero-ter-um/).

Não se esqueça de checar se no local aonde a pessoa mora, é permitido ter animais.

Outra consideração importante é em relação às viagens. É preciso planejamento para não ser pego de surpresa na hora de arrumar as malas e programar a hospedagem do animal ou combinar com alguém para cuidar dele (saiba mais clicando aqui).

A decisão de ter um animal de estimação deve ser muito bem planejada. Por isso eu acho perigoso dar animais de presente.

Se após muita reflexão a decisão for por adquirir um animal, considere adotar ao invés de comprar. Existem muitas instituições com animais a disposição para adoção.

Se a ideia for adquirir um animal de raça, estude bem as características das raças e a qualidade das criações.

Conheça os locais que os animais são criados e tire todas as suas dúvidas.

Sejam felizes!

 

Leia mais →
coceira apoquel

A maior queixa das famílias brasileiras que levam seus cães para atendimento veterinário no Brasil, é a coceira.

Um levantamento recente mostrou que este número chega a 40%!

Sabemos que além do desconforto para o animal, um cachorro que se coça também abala a tranquilidade da família.

Antigamente, um problema de pele num cachorro que passava toda sua vida num quintal, afastado da família, poderia nem ser percebido.

Atualmente, os cães convivem conosco dentro de casa, sobem no sofá e muitas vezes dormem nas nossas camas (eu adoro! Para saber mais, clique aqui).

Ao primeiro sinal de coceira, a família já percebe que algo está incomodando o cão.

Ele se coça tanto que ninguém mais consegue dormir!

Se a situação não for controlada, podemos chegar ao ponto de ter um animal cheio de feridas na pele, queda intensa de pelos e mau cheiro.

O diagnóstico das doenças de pele nem sempre é fácil (para saber mais, clique aqui).

Quando se trata de um quadro de alergia é preciso ter paciência e persistência.

Para definir a causa da alergia, o veterinário precisa examinar o animal e obter muitas informações a respeito da rotina deste cão.

Os cães podem ser alérgicos a qualquer substância! Assim como nós, humanos.

Para saber mais sobre alergias, clique aqui.

Quando não podemos impedir o contato do animal com a causa da alergia, como nas dermatites atópicas (animais alérgicos a substâncias do ambiente como ácaros, poeira etc) o desfaio é ainda maior.

O primeiro objetivo do tratamento é o alívio da coceira.

Finalmente temos a opção de uma terapia inovadora indicada para o tratamento da coceira associado às dermatites alérgicas caninas, incluindo a dermatite atópica, uma doença crônica.

A chegada do Apoquel no Brasil é uma novidade a ser comemorada, tendo em vista seu efeito rápido (início do alívio em até 4 horas!) e sua indicação para diversos tipos de alergias como as alimentares, as causadas por ectoparasitas, como pulgas e a dermatite atópica.

Outro diferencial do Apoquel é a segurança no uso prolongado, pois tem a eficácia e a rapidez dos corticoides, sem causar os efeitos colaterais destes medicamentos.

Utilizados como uma das poucas opções para o tratamento da coceira até o surgimento do Apoquel, os corticoides podem trazer muito prejuízo à saúde dos animais. Em curto prazo, os cães ficam com a respiração ofegante, urinam demais, têm sede e fome excessivas. Em longo prazo, podem sofrer de pancreatite, diabetes, perda de massa muscular, aumento de peso e infecções, entre outras complicações.

É muito importante buscar definir as causas das doenças de pele. Apesar dos sintomas serem muito parecidos (coceira, perda de pelos, feridas, mal cheiro), o diagnóstico e o tratamento podem ser muito diferentes.

Como as alergias são dificilmente curadas e sim controladas, o alívio da coceira é um grande benefício.

Converse com a(o) veterinária(o) de sua confiança e ofereça conforto para seu cão!

Assista o filme:

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato