coronavirus-covid-19

Esta nova coronavirose está afetando o mundo todo e nos deixando ansiosos, repletos de dúvidas e muitas vezes sem saber o que fazer.

As recomendações de higiene e segurança estão sendo amplamente divulgadas pela mídia e cabe a todos nós seguí-las:

  • lavar as mãos com frequência e da forma adequada
  • evitar levar as mãos aos olhos, boca e nariz
  • ao espirrar e tossir proteja a boca com um lenço descartável ou com seu próprio braço
  • mantenha distância de 1 metro das outras pessoas em caso de tosse ou espirro
  • procure assistência médica se estiver com febre e tosse com dificuldade respiratória
  • respeite as regras da sua cidade, região ou país (elas podem variar de acordo com a situação)

De acordo com as previsões dos órgãos de saúde o número de casos no Brasil só vai aumentar nas próximas semanas e precisamos fazer a nossa parte.

A princípio, não precisamos nos preocupar com nossos cães e gatos, pois não há nenhum indício de contaminação do Covid-19 nestas espécies.

NÓS NÃO TRANSMITIMOS PARA ELES E COMO ELES NÃO DESENVOLVEM A DOENÇA TAMBÉM NÃO TRANSMITEM PARA NÓS!

Os cães apresentam outro tipo de gripe (para saber mais clique aqui) e os gatos também desenvolvem doenças respiratórias ( clique aqui para saber mais), mas nenhuma delas é causada pelo coronavírus, nem são transmitidas para os seres humanos.

Contudo os cães e gatos também podem apresentar doenças causadas por outros tipos de coronavírus, mas além de não serem contagiosas para os seres humanos as suas manifestações não são respiratórias.

A coronavirose nos cães causa uma gastroenterite (o principal sintoma é diarreia) e nos gatos uma doença conhecida como PIF (peritonite infecciosa felina). Estas viroses também não são transmitidas para os seres humanos nem para outras espécies.

A mídia internacional divulgou um caso de um cachorro na China, que apresentou um resultado fraco positivo para o coronavírus, mas ele não apresentou a doença. A hipótese mais provável é que o material coletado no cão estivesse contaminado com o Covid-19 porque sua responsável estava positiva para a virose. Este cão ficou em quarentena por precaução e também para diminuir o risco dele “carregar” material contaminante no seu corpo para outras pessoas.

Por este mesmo motivo não é indicado que cães ou gatos que convivem com pessoas contaminadas pelo Covid-19 entrem em contato com outras pessoas. Desta forma, diminuímos a chance de contágio.

Priorize passear com seu cão em locais sem muitas pessoas e siga as recomendações de higiene já descritas.

Tenho ouvido algumas dúvidas a respeito da vacinação contra coronavirose, aquela que os cães recebem todo ano na vacina múltipla (óctupla ou decupla). Esta vacina é INDICADA SOMENTE PARA CÃES para protegê-los contra o coronavírus que afeta o sistema digestivo do cães.

ELA NÃO DEVE SER APLICADA EM NENHUMA OUTRA ESPÉCIE, NEM HUMANOS NEM GATOS E NÃO PREVINE CONTRA O COVID-19!

Podemos aproveitar este período que estamos mais tempo em casa para nos dedicar mais aos nossos pets, brincando mais com nossos animais, escovando, ensinando comandos e enriquecendo suas vidas com atividades que normalmente não conseguimos encaixar nas nossas rotinas.

Se você tiver dúvidas sobre este e outros assuntos, entre em contato!

Basta clicar aqui ou pelo perfil do instagram @ritaericson.veterinaria

Se o seu animal estiver precisando de assistência veterinária, leve-o numa clínica, mas certifique-se do horário de funcionamento e tente agendar o atendimento para evitar deslocamentos e encontros desnecessários na sala de espera.

São tempos difíceis, mas vai passar!

Se cuidem!

Leia mais →
WhatsApp Image 2020-01-20 at 13.41.06

Você já pensou o tanto que podemos aprender com cães e gatos?

Pensando em coisas que os animais podem ensinar aos humanos e também nas atitudes que nós podemos ter para melhorar a vida deles, eu escrevi estes dois livros muito especiais, o Latidos de Sabedoria e o Miados de Sabedoria, que estão em pré-venda!

Os cães, por exemplo, tratam todo mundo com igualdade, não valorizam dinheiro, nem poder. São puro amor! 🐶

Já os gatos nos ensinam que se alongar ao sair da cama é necessário. O alongamento ativa os movimentos dos músculos e aumenta a circulação sanguínea para todo o corpo, inclusive o cérebro. Muito inteligentes, né? 🐈
.
Os livros podem ser adquiridos individualmente ou em um combo. E fazendo o pedido durante a pré-venda você recebe brindes exclusivos:
+ marcador de páginas
+ ecobag estampada

Para comprar, no site da Editora Belas Letras, clique aqui.

Os envios iniciarão a partir do dia 17/02/20.

Leia mais →
JB FM

Quer saber como você pode melhorar a vida do seu pet ? JB FM bicho saudavel

Acompanhe os podcasts com dicas veterinárias, comigo, Rita Ericson!

De segunda a sexta, aproximadamente às três da tarde.

Para ouvir a qualquer hora, em qualquer lugar, clique aqui.

Leia mais →
cbd-for-dogs-cbd-for-cats_orig

 

CBD é a abreviação da palavra canabidiol, um princípio ativo derivado da planta cannabis.

A cannabis ou popularmente conhecida como maconha, é uma planta que possui mais de 100 compostos químicos chamados de canabinóides e os mais conhecidos são o CBD e o THC.

O CBD é uma substância natural e embora não haja dúvidas sobre seus benefícios no controle da dor, da ansiedade além de outras indicações para seres humanos, ainda há muitos pontos e dúvidas a serem esclarecidos sobre o uso do CBD para cães e gatos.

É possível que você já tenha ouvido falar dos inúmeros benefícios do CBD e como ele tem ajudado os humanos a lidar com diferentes doenças.

Por isso o CBD está avançando cada vez mais no campo dos tratamentos holísticos (para saber mais, clique aqui).

É importante ressaltar que nenhuma medicação, mesmo que natural, funciona como uma solução mágica, indicada para resolver todos os males, para todos os indivíduos.

Entendendo o CBD 

Assim como os humanos, os cães e gatos também possuem sistemas endocanabinóides. O sistema endocanabinóide é uma rede de ativadores e receptores celulares que funcionam como reguladores de algumas funções fisiológicas como: humor, sono, dor, apetite e imunidade.

Nossos organismos, assim como o dos nossos pets, produzem canabinóides naturalmente – são os chamados endocanabinóides.

A planta Cannabis – CBD & THC

Ainda que existam alguns equívocos e preconceitos a respeito da planta cannabis, sabemos que são muitos os benefícios que o CBD pode oferecer.

Cannabis sativa L é o nome genérico da planta, mas ela possui muitas linhagens diferentes. Enquanto algumas linhagens produzem a maconha, que é ilegal no Brasil, outras linhagens produzem o cânhamo para fins terapêuticos e industriais (fabricação de tecidos, cordas, papéis etc).

O nome cannabis é um termo abrangente usado tanto para chamar o cânhamo quanto a planta da maconha.
Embora existam semelhanças entre a planta de cânhamo e a planta da maconha, também há diferenças e é fundamental reconhecê-las.

Apesar da planta cannabis geralmente conter CBD e THC (Tetrahidrocanabinol), as plantas de cannabis que contêm menos de 0,3% de THC são conhecidas como plantas de cânhamo (ou Hemp, em ingles). Antes de tudo, saiba que os produtos feitos das plantas de cânhamo são legais no Brasil.

Por mais que a planta da maconha seja mais conhecida por suas propriedades psicoativas, isso não quer dizer que ela também não tenha propriedades medicinais. São muitos os relatos de que a maconha ajuda vários indivíduos com diferentes problemas de saúde.

No entanto, ainda existe muito preconceito em relação à maconha, por ela ser comumente usada com objetivos recreativos.

Por outro lado, os produtos derivados da planta do cânhamo são considerados não-psicoativos, isto é eles não produzem nenhum efeito de “chapação”.

Quando o assunto é o CBD para gatos e cães, estamos nos referindo às formulações e produtos livres de THC . Logo, o CBD não deixará seu animal de estimação “doidão nem chapado”.

Além disso, queremos enfatizar que o uso terapêutico do CBD para cães e gatos já está legalizado no Brasil.

Mas é fundamental alertar que a substância THC é tóxica para os cães e gatos.

O uso da maconha é muito perigoso,  desanconselhado e pode intoxicar seu animal.

Assim sendo, só se deve usar o CBD derivado da planta de cânhamo, livre de THC, para os pets.

Sem dúvida, o produto mais popular no mercado é o óleo de CBD que é uma substância líquida e na maioria das vezes utiliza-se com um conta-gotas.

O uso do conta-gotas permite dosar com mais precisão a quantidade de CBD para os cães e gatos.

Na maioria das vezes, o óleo de CBD é administrado por via oral, diretamente na boca ou misturado com a comida ou ao petisco favorito.

Efeitos e Benefícios do CBD

Infelizmente ainda não existem muitos estudos científicos publicados sobre os benefícios do CBD para saúde dos cães e gatos.

Em alguns países, o uso do CBD terapêutico para humanos é legal há alguns anos e são muitos os relatos de cães e gatos que apresentaram melhora de quadros como:

Artrite – dor articular

Dor neuropática (nervos)

Inflamação intestinal

Epilepsia e convulsões – controle e diminuição de medicamentos controlados, muitos estudos estão sendo realizados para confirmar.

Ansiedade – a propriedade mais estudada do CBD é sua capacidade de promover o relaxamento, esse efeito é observado tanto em humanos quanto nos nossos pets.

Náusea (enjôo) e estimulante do apetite – pacientes submetidos aos tratamentos quimioterápicos (entre outros casos) frequentemente apresentam vomitos e falta de apetite.

Efeitos colaterais do CBD

Como não existem 2 indivíduos iguais, sejam eles cães, gatos ou humanos, os animais podem reagir de maneira diferente ao CBD.

O principal efeito colateral do CBD é a possibilidade de deixar seu animal um pouco mais letárgico do que o habitual.

Normalmente, os efeitos colaterais são inexistentes ou extremamente leves.

CBD para venda: um alerta

Embora a popularidade dos produtos de CBD venha crescendo, precisamos alertar que nem todos os CBDs são produzidos da mesma forma. O CBD ainda não é controlado e regulamentado de forma precisa. Portanto, é totalmente possível que os produtos de CBD que você encontra disponíveis não sejam exatamente o que você está esperando.

Certifique-se de que o produto é 100% natural, testado e certificado por um laboratório que lhe dirá exatamente quanto de CBD contém em seu produto.

É fundamental consultar um(a) veterinário (a) em relação à indicação e dose adequada de CBD para seu animal de estimação.

No Brasil ainda não encontramos produtos nas prateleiras das petshops, à base de CBD. Só é possível através de formulações controladas em farmácias especializadas.

Em muitos países da Europa e dos EUA , existem petiscos, cápsulas, óleo, entre outras formulações disponíveis para a venda.

Vale ressaltar que cães e gatos só podem tomar o CBD derivado da planta de cânhamo. Produtos que são ricos em THC, como a maconha recreativa ou até mesmo a medicinal, podem intoxicar os animais!

Portanto, nunca ofereça maconha para seu cão ou gato, de nenhuma maneira!

Não deixe ele comer nem nunca permita que assoprem fumaça nem vapor na direção do seu animal pensando que isso o ajudará.

É bastante provável que brevemente tenhamos estudos publicados com todas as indicações, recomendações, cuidados e melhores aplicações do uso terapêutico do CBD para nossos queridos cães e gatos.

Converse com o(a) veterinário(a) que cuida da saúde do seu animal.

Leia mais →
cartaz I simposio tanatovet

Conteúdo programático:
▪Luto
▪Eutanásia: desafios
▪Envelhecimento e finitude de cães e gatos
▪Comunicação de notícias difíceis
▪Sofrimento emocional do médico veterinário

Endereço: Univeritas
Rua Marques de Abrantes 55, Flamengo – RJ
Anfiteatro 1°andar

Data: 24/08/2019

Horário: 09h às 17h

Credenciamento às 08h30

Para se inscrever, clique no link abaixo:

Inscreva-se aqui

Apoio:

logo drogavet ok

 

Leia mais →
buldogue gelo

Se você está sentindo muito calor, imagine seu cão ?

Quando a temperatura aumenta, precisamos tomar alguns cuidados com os cães.

Vocês já perceberam que  eles não suam como nós?

Eles não conseguem perder calor através do suor, porque tem o corpo coberto por pelos. Eles precisam arfar e trocar o ar quente e umido pelo ar mais frio que é inspirado. Por isso ficam tão ofegantes.

Todo aquele líquido que pinga do focinho e língua deles não é suor! Sua função é somete proteger e hidratar as mucosas.

Quando a temperatura aumenta, os passeios devem ser em horários mais frescos e sempre pela sombra.

Nós usamos sapatos para sair na rua, mas os cães não! Se o chão estiver muito quente, as “almofadinhas” das patas podem queimar. Um bom teste é apoiar as palmas das mãos no chão – se estiver queimando, não leve seu cão para passear!

Se a temperatura estiver muito alta e o animal estiver se exercitando, pode ocorrer um quadro grave chamado intermação.

Se o seu cão se recusar a andar, estiver cansado e muito ofegante, faça uma pausa – na sombra – ofereça água e molhe a cabeça, pescoço, peito e virilhas dele com água fria. Só retome a caminhada se ele estiver se recuperado.

Alguns cães não conseguem perceber a gravidade do quadro e continuam seguindo seu humano e o quadro de intermação pode agravar muito e até levar a morte.

Inicialmente o animal fica extremamente ofegante, com a língua e gengivas pálidas e baba bastante. Se a situação agravar, as mucosas podem até ficar cinza-azuladas indicando uma situação realmente de risco. O corpo do cão fica mole e incoordenado e se a temperatura corporal exceder os 41ºC, podem ocorrer alterações na coagulação sanguínea levando a danos no cérebro, rins, coração e pulmões. Infelizmente muitos animais apresentam convulsões, entram em coma e não resistem.

A obesidade também é um fator agravante, pois ela afeta a termoregulação, dificultando a perda de calor do corpo.

Algumas raças também apresentam mais dificuldade em perder calor e atingir a homeotermia (equilíbrio da temperatura).

Algumas são extremamente peludas como o husky siberiano, o chow chow e o akita esta pelagem é preparada para suportar temperaturas muito frias.

Os animais de “cara achatada” (braquicefálicos) não conseguem arfar de forma eficiente para resfriar o corpo. São os buldogue franceses, pugs, buldogues e também os gatos persas.

Os animais de pele muita clara (cor de rosa) e pelos brancos podem sofrer queimaduras de sol e até desenvolver cancer de pele.

Há inclusive a indicação de aplicar protetor solar nas orelhas e focinhos de alguns animais.

É fundamental manter sempre água fresca à vontade.

Ah, não se preocupe se ocorrer uma diminuição no apetite do seu animal nos dias mais quentes. Também é normal que eles prefiram comer à noite.

Teoricamente os pelos servem como isolante térmico, tanto para o frio como para o calor. Pensando assim, não seria interessante tosar os animais no verão, mas é muito comum após a tosa de um bicho peludo notar que ele parece se sentir mais leve. Acredito que as famílias devem fazer um teste para avaliar se o animal demonstrou estar mais ou menos confortável após a tosa.

A pelagem também serve para proteger a pele de queimaduras solares e picadas de insetos.

Você já deve ter percebido que os animais perdem bastante pelo assim que começa a esquentar. É como se eles se preparassem para usar um casaco mais leve durante o verão.

Mas quando o calor é intenso e o cão é muito peludo, a tosa pode até ajudar.

Mas é fundamental tomar cuidado para a temperatura no momento da tosa  não ficar insuportável para o cão e para o tosador. Se precisar usar mordaça, atenção! Ela pode limitar a abertura da boca dificultando a perda de calor.  Existem modelos que impedem a mordedura, mas  o cachorro abre a boca completamente (tipo cestinha). Para saber mais sobre tosa, clique aqui.

  • Nunca deixe seu animal sozinho no carro. A temperatura pode atingir níveis altíssimos e ele pode não suportar.
  • Os cães que gostam de água podem se molhar sempre que possível, mas evite usar sabão ou shampoo mais que uma vez por semana. Também é importante secar a pelagem!
  • O verão é a estação das pulgas – previna a infestação regularmente. Saiba mais clicando aqui.
  • Cuidado com piscinas. Muitos cães pulam dentro, mas não sabem sair. Eles são capazes de nadar, mas se estiverem exaustos, podem se afogar. Cubra ou cerque a piscina para evitar acidentes. Se você deixa seu cão entrar na piscina, instale uma escada que permita a saída dele, quando quiser. Saiba mais clicando aqui
  • Se o seu cão tem a pelagem curta, borrife água fria nele durante o passeio! Isso se ele gostar, é claro.

Os gatos se expõem menos a estes riscos porque vivem dentro de casa ou quando saem, escolhem sempre andar pela sombra!

Eles costumam até gostar do calor!

Eles comum observá-los deitados sob o sol, sobre aparelhos que esquentam (monitor, TV etc) mesmo neste calorão.

Mas também existem as exceções, muitos gatos escolhem deitar no chão frio e dormem de barriga para cima, parecendo que estão refrescando a barriga…

 

 

Leia mais →
filhote coleira

Quem já passou por esta experiência sabe bem a confusão que é o primeiro passeio na rua, de guia e coleira.

Cachorro-estátua, mordidas na guia, embolação nas pernas e as vezes até tombo!

Todos sabem que os filhotes só podem sair para passear na rua, pisando no chão, quando termina o esquema de vacinação.

Eu sempre recomendo que eles conheçam a rua com todos seus barulhos e mistérios (imagina o que significa um caminhão de lixo para um filhote!), desde cedo, especialmente na fase entre 2 e 4 meses.

Este é um período sensível, quando os filhotes precisam ser socializados (para saber mais sobre vacinas e socialização, clique aqui).

Mas o tão esperado momento de passear, correr, conhecer outros cães e gastar toda aquela energia só ocorre aproximadamente entre 3 e 4 meses.

Mas para passear, precisamos de coleira e guia, certo?

Certíssimo!

Mas como fazer um filhote aceitar aquela coleira no corpo que ainda por cima tem uma guia acoplada que limita seus movimentos?

O ideal é começar aos poucos.

Compre uma guia e coleira assim que seu filhote chegar na sua casa.

Comece mostrando a coleira e guia para o filhote. Deixe no chão para que ele se aproxime espontaneamente. Se precisar, coloque uns pedacinhos de petiscos ou ração próximo ou até mesmo em cima da coleira.

A ideia é ele gostar e associar estes objetos novos a sensações prazerosas, positivas.

Aos poucos, coloque somente a coleira e deixe por pouco tempo.

Tente distrair o filhote brincando enquanto ele estiver aceitando bem e elogie bastante.

Se ele detestar, ficar imóvel ou quiser tirar, retire e tente novamente.

Aos poucos, aumente o tempo com a coleira no pescoço dele.

Quando ele estiver relaxado, é hora de prender a guia na coleira.

Inicialmente, deixe a guia solta, ele provavelmente vai andar pela casa, arrastando a guia.

Fique por perto e tome cuidado para a guia não prender em nenhum móvel! O filhote pode ficar preso e assutado ou na pior das hipóteses, puxar com força e acabar caindo algum objeto em cima dele.

Quando ele estiver acostumado com a coleira e a guia presa, comece a segurar a guia. Aos poucos aumente o tempo e experimente “guiá-lo” em casa.

Após este período de treinamento, seu filhote estará mais acostumado e é provável que o primeiro passeio não seja uma cena de filme de comédia!

É hora de passear!

Se ele estiver puxando muito a guia, pare imediatamente. Ele precisa entender que se ele puxar, você não anda.

Assim que ele se aproximar de você e a guia não estiver esticada a sua frente, volte a caminhar e elogie-o bastante.

Também podemos premiar o cão que está relaxado, andando ao nosso lado, com pequenos pedaços de petiscos, conforme andamos juntos.

A princípio, esqueça aquelas ideias que o cão precisa estar alinhado ao seu joelho, do lado esquerdo.

Não é recomendado dar trancos, puxões e broncas para o filhote perceber esta dinâmica.

Os cães precisam usar coleira e guia para passear na rua!

A experiência de andar com seu cão solto e livre é maravilhosa, mas não é possível fazê-la na cidade.

Além do risco de acidentes, precisamos respeitar as pessoas que não se sentem a vontade, perto de um cão.

Para saber mais sobre passeios, clique aqui.

Existem muitos tipos de coleiras e guias.

Finas, grossas, de nylon, de couro, peitorais e até alguns modelos especiais para adestramento e controle daqueles cães que são “puxadores” profissionais!

Aos poucos, você saberá (se precisar, peça ajuda para o/a veterinário/a e adestrador/a dele) qual o melhor modelo para seu cão.

Eu sempre prefiro as peitorais, elas são mais gentis!

Não use correntes e enforcadores. Elas são desconfortáveis, muito pesadas e frequentemente machucam e “cortam” os pelos ao redor do pescoço. Ainda há o risco de causar lesões cervicais e aumentar a pressão intraocular.

Muitos cães aprenderam a andar de coleira e guia através de trancos e puxões. Mas não é o melhor jeito de criar uma relação de confiança com seu cão…

Atualmente sabemos que estas técnicas são desnecessárias, eles são capazes de aprender somente com elogios e uma boa dose de paciência.

 

 

 

 

 

 

Leia mais →
different animals with giftbox and flower together

Muitas crianças sonham e imploram para ganhar um cão ou um gato de presente.

O Natal é uma oportunidade para elas realizarem este sonho.

Mas os animais não são objetos, não podem ser trocados, descartados ou doados se não se adaptarem bem ao novo ambiente.

Ter um animal de estimação é uma experiência riquíssima e só mesmo vivendo e experimentando, para conhecer o amor que nasce nesta relação.

O convívio de crianças com animais é muito enriquecedor (saiba mais clicando aqui), elas aprendem a serem responsáveis e a respeitar o limite do outro entre outras experiências riquíssimas.

O problema surge quando a família não está decidida e preparada a conviver com um animal de estimação.

Ter um cão ou gato requer dedicação, tempo, planejamento e investimento financeiro.

Mesmo que a criança se comprometa a ajudar, realizando tarefas simples (como trocar a água ou escovar os pelos), a responsabilidade é dos adultos.

Os gatos exigem menos dedicação, não precisam passear, são menos dependentes e mais silenciosos. Mas também precisam de cuidados e atenção.

Os cães precisam de MUITA atenção, adestramento básico, passeios, atividades físicas e mentais além de muito carinho.

A expectativa de vida dos cães e gatos gira em torno de 12 anos (podendo chegar a 20!) e muitas pessoas não podem se comprometer por este longo período.

Se alguém na família for alérgico, vale a pena escolher bem o tipo de pelagem (saiba mais clicando aqui).

Não se esqueça de checar se no local onde a pessoa mora, é permitido ter animais.

Outra consideração importante é em relação às viagens. É preciso planejamento para não ser pego de surpresa na hora de arrumar as malas e programar a hospedagem do animal ou combinar com alguém para cuidar dele (saiba mais clicando aqui).

A decisão de ter um animal de estimação deve ser muito bem planejada. Por isso eu acho perigoso dar animais de presente.

Se após muita reflexão a decisão for por adquirir um animal, considere adotar ao invés de comprar. Existem muitas instituições com animais a disposição para adoção.

Se a ideia for adquirir um animal de raça, estude bem as características das raças e a qualidade das criações.

Conheça os locais que os animais são criados e tire todas as suas dúvidas.

Sejam felizes e Feliz Natal!

 

Leia mais →
Labrador retriever dog poops in the green park

Novembro Azul é o mês mundial de combate ao câncer de próstata.

A incidência de câncer prostático em cães e gatos é rara, mas observamos outras patologias relacionadas à próstata.

Nos cães idosos ocorrem casos esporádicos de cistos e com uma maior frequência, o aumento do tamanho e volume da próstata – chamada de Hiperplasia Prostática Benigna (HPB).

Os cistos podem ser únicos ou múltiplos e normalmente não causam sintomas nos animais.

Os sintomas mais frequentes são decorrentes da compressão dos orgãos vizinhos. Quando a próstata está muito grande, o animal pode sentir dificuldade para urinar e as fezes podem ter aparência achatada. Também é possível observar alterações como urina com sangue e/ou secreção no pênis.

prostatic_disease_2009

Se os cistos infeccionarem, a próstata pode desenvolver um abcesso.

Na maioria das vezes, os cistos e a Hiperplasia Prostática Benigna são achados por acaso, quando o animal realiza uma ultrassonografia para investigação do abdomem.

Nos casos de infecção e/ou abcesso, o animal pode desenvolver sintomas como dor, febre e apatia.

É possível perceber o aumento da próstata através do exame de palpação retal, mas muitas vezes o cão é muito pequeno e demonstra muito desconforto durante o exame.

O tratamento das doenças prostáticas depende da presença ou não de infecção e do estado geral do animal.

A castração preococe dos cães diminui muito a incidência das doenças prostáticas.

Em casos de HPB, a castração mesmo no cão adulto ou idoso, causa uma diminuição do tamanho da próstata, resolvendo a grande maioria dos casos.

Os cães idosos também podem apresentar alterações nos testículos, geralmente tumores que podem ser benignos ou não.

Se o seu animal está com dificuldades para urinar e/ou defecar, apresenta secreção ou urina sanguinolenta e se os testículos estiverem com o tamanho diferente do normal, leve-o para atendimento veterinário.

 

 

Leia mais →
gato dalmata

A sabedoria popular é passada de geração em geração e deve ser respeitada, mas atenção!

Muitas informações são falsas, sem nenhuma comprovação científica e devem ser esquecidas.

Quem não se lembra da vóvó que dizia: Manga com leite faz mal, mata! Que bobagem, este mito foi criado no tempo da escravidão para evitar que os escravos (que tinham muito acesso às mangas) tomassem leite.

Vamos aos mitos que devem ser esquecidos:

1- As fêmeas devem ter pelo menos uma ninhada antes de serem esterelizadas.

Não é verdade, elas não “sonham” com a maternidade nem experimentam prazer no ato sexual, como as mulheres. A reprodução é o único objetivo. Pelo contrário, as fêmeas esterelizadas precocemente correm menos risco de desenvolverem tumores de mama e infecções uterinas.

2- Focinho quente e seco é sinal de febre.

A temperatura do focinho pode variar de acordo com o ambiente (seco, quente, frio) e se o animal está “suando” ou acabou de beber água. A única maneira de avaliar a temperatura é com um termomêtro por via retal (Normal 38º a 39,5ºc). Como não é fácil medir a temperatura sem ter experiência, observe o comportamento do seu animal, eles ficam muito prostrados quando estão com febre.

3- O cão só abana a cauda se estiver feliz.

Cuidado! Animais agressivos também abanam a cauda por excitação e ansiedade. Observe a postura corporal do cão por inteiro. Se ele estiver abanando toda a parte traseira do corpo e assumir a típica postura de brincadeira, fique tranquilo.

4 – Comer terra, tijolo, pedras, parede ou fezes é sinal de verminose ou desnutrição.

Não sabemos exatamente porque alguns animais comem “besteiras”(saiba mais clicando aqui). Pode ser por tédio ou para chamar atenção. Se o animal recebe uma dieta balanceada e é vermifugado regularmente, investigue a causa. Talvez ele precise de mais exercícios, brincadeiras e atenção.

5 – Os cães e gatos machos ficam mais calmos depois de cruzarem.

Eles até ficam, no dia da cruza, porque estão exaustos. Mas é só.

No dia seguinte estão novamente com a corda toda e provavelmente interessados a cruzar novamente, o que é dificílimo. Não recomendo a reprodução caseira, somente com criadores responsáveis. Para saber mais sobre castração, clique aqui.

6 – Lamber a ferida ajuda a cicatrizá-la.

É natural que o animal lamba sua ferida, mas em excesso, atrapalha a cicatrização.

 

7 – Grávidas não podem conviver gatos.

Absurdo total! Alguns gatos eliminam o toxoplasma nas fezes, mas são necessários alguns dias no solo para se tornarem infectantes e a via de transmissão é oral, isto é, a grávida precisa comer as fezes do gato. Toda grávida deve fazer exame de sangue para detectar anticorpos para toxoplasmose e evitar limpar a caixa sanitária de seu gato, assim como evitar carnes cruas ou mal passadas, vegetais crus e mal lavados e principalmente manipular terra ou areia que pode conter fezes de gatos (parquinhos, canteiros de plantas). Outra medida fundamental é sempre lavar as mão antes de levá-las à boca.

8 – Somente os cães machos montam e levantam a pata para urinar.

Fêmeas dominantes (algumas até esterelizadas) também montam em pessoas, objetos ou outros cães assim como levantam a pata traseira para urinar bem alto, na altura dos focinhos dos outros cães. Também chamo atenção para o fato da “monta” nem sempre ser sinal de interesse sexual. É uma demonstração de poder: quem monta é hierarquicamente superior. Quem se deixa montar é o submisso.

9 – É impossível treinar gatos.

Não é verdade, eles são muito inteligentes e podem aprender e responder bem a alguns comandos. Eu considero o mais importante ensiná-los a virem quando chamados. Gatos amam descansar em lugares escondidos, como gavetas, armários, entram embaixo dos sofás e quando precisamos sair e ter a certeza que estão bem ou até mesmo para evitar que fiquem presos no armário, vale a pena ter uma forma eficaz de chamá-los.

Funciona muito bem usar um assobio ou algum som marcante, alto e diferente dos sons do dia-dia. Sempre que for oferecer a ração úmida (eles costumam adorar), assobie antes. Faça disso uma rotina. Após algumas vezes, seu gato aparecerá sempre que você assobiar. Não se esqueça de premiá-lo! Desta forma ele tende a vir sempre que ouir este som.

Se for necessário ensinar ao seu gato que determinado local da casa é proibido, por ser perigoso, como o fogão, por exemplo, o ideal é fazer um barulho estranho para desviar a atenção dele. Você pode jogar um brinquedo ou outro objeto no chão (nunca na direção dele), a ideia não é assustá-lo e sim despertar a curiosidade dele para este objeto. Costuma funcionar bem.

Evite os borrifadores de água e outras opções que fazem barulhos altos, os gatos costumam se assustar muito.

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato