low stress cats handling

Medicar os gatos é quase sempre uma tarefa difícil, muitas vezes pode até parecer impossível.

Os gatos não costumam gostar de serem agarrados e contidos, por este motivo, a manipulação deve ser a mais gentil possível.

O ideal é acostumar o gato desde filhote (especialmente entre a 3a e 7a semana de vida) a ser manipulado.

Devemos mexer nas orelhas, nas patas, unhas e boca, de maneira suave e sempre oferecer uma sensação prazerosa em seguida, como um alimento que ele adora, um carinho especial ou até mesmo um pouquinho de catnip (saiba mais clicando aqui).

É fundamental ficar atento ao limite do gato e antes dele ficar contrariado, deixá-lo livre.

Se você não tem experiência com gatos, peça ajuda ao veterinário(a) que cuida dele para te mostrar como fazer.

Para facilitar a administração da medicação, eu aconselho chamar o gato para uma superfície alta, como uma bancada ou mesa.

Use uma toalha (de preferência a mesma, sempre) para o gato ficar em cima e faça carinho, elogios e ofereça um alimento gostoso.

É interessante borrifar um feromônio sintético (a venda nas petshops) na toalha, 15 minutos antes.

Este feromônio transmite uma sensação de conforto e bem-estar para os gatos.

Neste momento, não segure ele e nem deixe-o perceber que vai ser manipulado ou tomar uma medicação.

Este “processo” pode ser rápido, 2 minutos podem ser suficientes.

Repita várias vezes (muitas mesmo! 10-20!) e aos poucos, vá mexendo na boca do gato, deixe o frasco do remédio por perto, agite-o para fazer um barulhinho.

Quando seu gato estiver demonstrando interesse em subir na bancada sozinho e prazer na “sessão de carinho”, administre a medicação.

A ideia é que esta administração seja muito gentil, sem agarrões e conflitos.

Se a medicação for líquida, eu recomendo:

  • acostume seu gato à manipulação gentil, assim como descrito acima
  • nunca posicione seu gato como um neném, de barriga para cima, no seu colo
  • deixe-o em estação, isto é, com as 4 patas na mesa ou bancada
  • utilize uma seringa ou conta-gotas
  • se for usar seringa, cuidado para não fazer um jato na garganta do gato, para não correr o risco dele aspirar o medicamento e fazer uma falsa via (medicamento vai para os pulmões) – por este motivo eu prefiro o conta-gotas
  • se a medicação for pastosa ou líquida, mas em pequeno volume, experimente colocar o medicamento na pata (ou outra parte do corpo, de fácil acesso com a língua) do seu gato – ele vai querer se limpar, lambendo! Desta maneira ele acaba ingerindo o medicamento, sem estresse

Não se assuste se ele começar a babar, espumar e sacudir a cabeça espalhando remédio para todos os lados.

Este é o grande problema da medicação líquida, é difícil saber se o animal ingeriu a dose adequada ou “cuspiu” tudo.

Se seu gato não aceitar bem os líquidos, prefira os comprimidos.

Alguns animais que não foram habituados à manipulação gentil, tendem ficar muito assustados e se não puderem fugir, podem ficar agressivos.

Nestes casos, devemos repetir muitas vezes o “processo” de fazer carinho, oferecer petiscos e elogios para ele se acostumar antes de dar a medicação.

Se o seu animal está precisando ser medicado agora e ele não foi habituado ou até mesmo está traumatizado com manipulações inadequadas, converse com o(a) veterinário(a) que cuida dele.

Em alguns casos emergenciais pode ser necessário até fazer a medicação injetável.

 

 

Leia mais →
cao velho

Todos os apaixonados pelos animais têm a curiosidade de saber qual seria a idade do seu cão ou gato, se ele fosse gente.

É comum ouvir a máxima de que cada ano do cão corresponde a 7 anos do ser humano, mas não é bem assim.

O  cão e o gato entram na puberdade por volta dos 6 meses de idade, enquanto o adolescente humano aproximadamente aos 13 anos.

E este é só 1 exemplo.

Outra consideração é o peso do animal. Um cão de porte pequeno tem uma expectativa de vida maior que um grandão.

Esta tabela correlaciona as idades, aproximadamente, facilitando a nossa compreensão:

Idade e Peso do Cão X Idade Ser Humano

1 – 10 Kg 11 – 25 Kg 26 – 44 Kg > 45 Kg
6 meses 17 8 6 8
12 meses 22 12 8 12
18 meses 25 20 12 16
2 anos 27 23 16 22
4 anos 29 39 22 40
6 anos 36 51 40 55
8 anos 46 63 55 75
10 anos 55 75 75 94
12 anos 62 85 94
14 anos 68 95
16 anos 76
18 anos 87
20 anos 99

 

No caso do gatos, não há tanta variação de acordo com o tamanho. Mas há raças mais longevas que outras. Outro fator que diminui muito a expectativa de vida dos gatos é a obesidade.

GATO HUMANO
1 16
3 25
5 33
7 41
9 49
10 53
11 57
12 61
13 65
14 69
15 73
16 77
17 81
18 85
19 89
20 93
Leia mais →
Samba Susana Ericson

Até parece que os gatos vem com esta “função programada” – urinar e defecar na caixa sanitária.

É impressionante, desde muito filhotes eles já sabem e raramente erram. Mas de uma hora para outra, começamos a achar (e sentir o cheiro) pocinhas de urina no sofá, no tapete, na cama, na bolsa, no berço….aaahhhhh! SOCORRO!

Por que será? O que está acontecendo?

Inicialmente é fundamental levar o animal para consulta veterinária e afastar a possibilidade da causa ser um problema de saúde (cistite, nefrite, insuficiencia renal, diabetes etc).

Considerando que não há causa patológica, vamos as questões comportamentais:

  • seu gato (ou gata) é castrado (a)? – se não é, programe a cirurgia. Os felinos em idade reprodutiva tendem a marcar o teritório com urina
  • quantos gatos moram na sua casa? – o ideal é uma caixa sanitária para (mais…)
Leia mais →
cat toilet

Muitos gatos usam o vaso sanitário. Alguns donos acham anti-higiênico, outros consideram prático.

Os gatos aprendem mais rápido que os cães o local adequado para urinar e defecar. Como eles enterram as fezes e urina (hábito antigo) a caixa sanitária com terra, areia ou similar é facilmente adotada pelos gatos ainda filhotes. Se a caixa sanitária estiver localizada num local de fácil acesso e sem obstáculos no caminho, os gatos tendem a usá-la sem problemas.

Se o gatinho ainda é muito filhote, vale a pena (mais…)

Leia mais →
Rita e Isabella Saes

Escute aqui minha participação no Programa Hora do Blush, com Isabella Saes no dia 04 de agosto de 2010.

Clique no Play  para ouvir o quarto bloco do programa,  sobre o tato.

 

 

 

Leia mais →
Rita e Isabella Saes

Escute aqui minha participação no Programa Hora do Blush, com Isabella Saes no dia 04 de agosto de 2010.

Clique no Play  para ouvir o terceiro bloco do programa,  sobre a visão.

Leia mais →
Rita e Isabella Saes

Escute aqui minha participação no Programa Hora do Blush, com Isabella Saes no dia 04 de agosto de 2010.

Clique no Play  para ouvir o segundo bloco do programa,  sobre a audição.

 

Leia mais →
Rita e Isabella Saes

Escute aqui minha participação no Programa Hora do Blush, com Isabella Saes no dia 04 de agosto de 2010.

Clique no Play  para ouvir o primeiro bloco do programa,  sobre o olfato.

 

Leia mais →
gato se esfregando1

É uma delícia receber carinho de um gato, principalmente porque ele veio na sua direção e se esfregou na sua perna. Primeiro a cabeça depois o pescoço até chegar no final do seu lindo corpo as vezes com um pulinho no meio do caminho.
Você sabia que ele está se comunicando?
Os gatos possuem glandulas na testa, ao redor dos lábios, nas patas e nas laterais do corpo que secretam feromonios.
Estes feromonios atuam como comunicadores químicos.

Existem diferentes tipos com diversos significados que afetam o comportamento felino:

Leia mais →
arranhador arvore

Os gatos gostam de caçar.

As brincadeiras que eles mais gostam são as que simulam a caça: perseguir bolinhas, penas e cordinhas.

Brinquedo parado, não tem graça!

Mas também não podemos deixar que nossas pernas e braços sejam o “brinquedo” deles.

Brinque bastante com seu(s) gato(s), mas sempre comece e termine a brincadeira. Se ele estiver carente, precisando brincar, ele vai te chamar e “exigir” atenção.

Neste momento, ignore-o. Assim que ele desistir, chame-o para brincar.

Dedique pelo menos 10 minutos, 2 vezes ao dia, para brincar com seu(s) gato(s).

Aqui estão algumas sugestões simples, que podem melhorar bastante a qualidade de vida do(s) seu(s) gato(s):

  • Amarre 1 barbante na cintura com 1 pena ou tiras de tecido na ponta, comprido o suficiente para desfilar com 1 “rabo” pela casa. Enquanto você estiver sentado, parado, nada acontece. Quando você se levantar e o barbante esticar, começa a diversão.
  • Escolha um local da sua casa aonde passe uma corrente de ar e amarre uma corda com penas e fitas na ponta.
  • Laser point – não aponte diretamente para os olhos – após alguns minutos de brincadeira, jogue uma bolinha para ele pegar. Assim evita que ele fique frustrado com a impossibilidade de pegar o laser.
  • Bolinha de ping-pong: barata e leve, muda de direção facilmente.
  • Arranhadores – os gatos gostam de se alongar, logo o arranhador deve ser longo ou ficar de cabeça para baixo, embaixo de uma bancada, de maneira que o gato consiga se esticar. Também não adianta posicioná-lo em um local da casa que ninguém frequenta. Gatos gostam de companhia. O arranhador deve ficar aonde os membros da família ficam. Em dia de festa, retire-o.
  • “Tocas”: caixas simples, de papelão, de sapato, malas, gavetas. Gatos adoram se esconder ( saiba mais, clicando aqui)

Divirtam-se!

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato