pascoa cao e gato

Assim como as crianças, os animais adoram os chocolates e as cestas de Páscoa.

Mas nossos curiosos cães e gatos amam TODO o conteúdo da cestinha: papéis coloridos, fitas, plástico e é claro, o chocolate.

Os pedaços das embalagens e os pequenos brinquedos são perigosos porque são feitos de material não digerível e oferecem o risco de causar uma obstrução intestinal ou até mesmo uma perfuração, se ingeridos.

Se você suspeitar que seu animal engoliu algum pedaço de plástico, leve-o ao veterinário. Não espere até o animal começar a vomitar, isso pode dificultar a remoção do corpo estranho.

O outro risco é o próprio chocolate. Ele é tóxico para cães e gatos por conter muita gordura, cafeína e teobromina (estimulantes do sistema nervoso). Dependendo do tipo do chocolate e da quantidade ingerida pode causar vomito, diarreia, hiperatividade, tremores musculares e respiração curta e ofegante.

O chocolate branco é o menos tóxico de todos e para causar problemas, o animal precisa comer aproximadamente 500 g para cada Kg de peso! Isto é praticamente impossível.

O chocolate em pó é o mais tóxico e bastam 30 g para um animal de 10 Kg começar a apresentar sintomas leves de intoxicação.

O tratamento deve ser feito por um veterinário e pode ser necessária internação para fluidoterapia, controle de vômitos e até sedativos para interromper o efeito estimulante do chocolate.

A melhor forma de lidar com estes riscos é a prevenção. Não deixe seu animal brincar com as embalagens e as cestas de Páscoa sem supervisão. Se quiser, presenteie-o com um petisco para animais em forma de cenoura, ovo, coelho…mas não deixe-o comer os chocolates das crianças.

Animais não são brinquedos! Oferecer coelhos de verdade como presente de Páscoa costuma ser uma péssima ideia. Os coelhos são animais muito assustados, eles não costumam se adaptar bem à manipulação dos humanos. Como eles são muito fofinhos, a vontade que sentimos é de pegar no colo e abraçá-los. As crianças não resistem.

Quando o coelho sente medo, ele tenta escapar do nosso colo e sem querer, acaba nos arranhando. Outro risco é que ele se machuque, na queda.

A expectativa de vida de um coelho criado em casa pode chegar a 10 anos. Por estes motivos, evite que coelhos sejam dados como uma lembrança de Páscoa.

Boa Páscoa!

Leia mais →
poison

Escute aqui minha participação no programa da Isabella Saes no dia 03 de agosto de 2011.

Conversamos sobre as intoxicações mais frequentes  em cães e gatos.

Clique no Play de cada bloco para ouvir o programa na íntegra.

Leia mais →
envenenamento

As intoxicações são muito comuns na rotina das clínicas veterinárias.

A causa mais frequente é a administração de medicamentos humanos para cães e gatos. Muitas vezes, na melhor das intenções, o responsável pelo animal causa uma grave intoxicação ao medicá-lo com “um simples remédio para dor”.

Além de produtos extremamente tóxicos, existem várias substâncias potencialmente perigosas para os cães e gatos, dentro das nossas casas. Tudo depende da quantidade ingerida (ou aplicada no animal) em relação ao peso do cachorro ou gato.

Você sabia que um pedaço de chocolate amargo pode até matar um cão de pequeno porte?

Segue uma lista dos tóxicos mais frequentes:

  • anti-inflamatórios não esteroides- diclofenaco, ibuprofeno, aspirina, paracetamol (Tylenol) entre outros.

Os animais podem apresentar alterações digestivas (vômitos e diarreia), hepáticas e renais. O quadro pode ser muito grave, levando ao óbito.

  • inseticidas- para controle de pulgas, carrapatos, ratos, baratas e cupins.

Existem muitas drogas seguras no mercado, mas preste atenção ao modo correto de utilizar.

Os produtos a base de piretrina e permetrina- geralmente de uso tópico (talcos, shampoos, sabonetes e coleiras) são seguros se corretamente utilizados, mas não devem ser utilizados concomitantemente na hora do banho, no corpo do animal e na casa por aumentar muito o risco de intoxicação.

Os produtos para tratar sarna (amitraz, por exemplo) devem ser diluídos corretamente e utilizados somente em cães. Se no rótulo ou bula do produto não for especificado o uso em gatos, NÃO utilize.

Existem também pesticidas a base de organofosforados e carbamatos que são extremamente tóxicos para humanos e animais domésticos. Cuidado com os inseticidas para insetos! O spray se deposita no chão e seu animal pode pisar e/ou lamber o produto.

  • alimentos- sabemos que os animais devem receber uma dieta adequada e balanceada. Alguns proprietários oferecem comida ao invés de ração industrializada. Isto é possível, mas é fundamental formular esta dieta com um nutricionista veterinário. As necessidades nutricionais são diferentes entre as espécies. Para saber mais sobre dieta caseira, clique aqui.

Alguns alimentos humanos são potencialmente tóxicos como:

  1. chocolate: além de ser rico em gordura, contém cafeína e teobromina que são estimulantes do sistema nervoso central. Os diferentes tipos de chocolate contém diferentes níveis destas substâncias. O animal pode apresentar vômito, diarreia e até convulsão em casos graves. Quanto mais amargo e escuro o chocolate, maior a concentração de cafeína e teobromina. Para um cão se intoxicar comendo chocolate branco, ele precisaria comer 2 Kg de chocolate para cada 1 Kg de peso dele! Mas bastam 10 g de chocolate amargo por cada Kg de peso para causar uma intoxicação.
  2. uva/passas- poucos sabem, mas as uvas podem intoxicar os cães (não há registros de casos em gatos). A ingestão de 10 a 12 uvas para um cão de 10 Kg pode levar a insuficiência renal. As passas são aproximadamente 5 vezes mais concentradas que as uvas frescas, logo devem ser evitadas.
  3. cebola- pode causar hemólise (destruição de hemácias) em gatos. Evite oferecer alimentos que contenham cebola na fórmula (sopinha para neném, por ex.)
  • drogas ilícitas (maconha, cocaína) e álcool – intoxicam os seres humanos e podem levar a quadros graves nos animais. NUNCA ofereça bebidas alcoólicas para seu animal de estimação, ele pode apresentar alterações hepáticas graves.
  • cigarro- alguns cães destroem pacotes de cigarro, chicletes de nicotina ou até mesmo comem “guimbas” do chão. A nicotina pode causar sintomas neurológicos (tremores, ataxia) em animais, dependendo da dose. Em cães, 10 mg de nicotina por Kg de peso podem até matar. Um cigarro contém de 15 a 25 mg de nicotina, logo bastam poucos cigarros para fazer mal a um cão de pequeno porte.
  • produtos de limpeza- evite usar e não enxaguar. Os produtos que são muito perfumados atrapalham o olfato, independente de causar intoxicação nos animais. Lembre-se que seu animal vive pertinho do chão, não usa sapatos e se lambe constantemente! A creolina é usada na limpeza de ambientes, mas pode ser extremamente tóxica e causar irritação e queimaduras na pele, olhos, boca e garganta; vômitos e dores abdominais; danos ao coração, figado e rins; anemia; paralisia facial, coma e até levar a morte.
  • adubos – dependendo da composição pode ser extremamente tóxico. A ingestão da torta de mamona pode  causar vômitos, cólicas abdominais severas, diarreia sanguinolenta, choque, coma e óbito na maioria dos casos, dependendo da quantidade ingerida.
  • produtos químicos- tinta, resinas, colas, solventes etc. Evite deixar seu animal em casa, se estiver em obras.
  • cloro- evite que seu animal de estimação beba água da piscina. Dependendo da concentração, pode causar vômitos e irritação gástrica.

O tratamento das intoxicações deve ser sempre realizado por um médico veterinário e não é recomendado o uso de “receitas caseiras” como administrar leite, clara de ovo, fazer lavagem gástrica etc.

Lembre-se que quanto antes o animal for atendido, melhor o prognóstico.

Dependendo do tipo de substância, a administração de alimentos gordurosos pode até aumentar a absorção do tóxico.

O veterinário avaliará a necessidade de internação para tratamento de suporte (hidratação, controle de vômitos, sedação) e se possível, a utilização de antídotos e/ou medicação para diminuir a absorção da substância tóxica.

Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato