2016-04-13 (1)

O objetivo desta série é informar, discutir e educar os tutores dos animais​ ​para melhorar a relação homem-animal​, tornando-a mais rica e proveitosa para ambos os lados.

O programa exibirá toda terça-feira um episódio inédito no GShow.

Para assistir o quinto episódio, sobre “Castração”, clique aqui.

Existem muitas vantagens em realizar a castração.

Nas fêmeas, a cirurgia evita tumores de mama, infecções uterinas, cios e gestações indesejadas.

Nos machos, a castração pode funcionar como um modulador comportamental, diminuindo a agressividade, a marcação de território com urina, a monta e a motivação para fuga.

Para saber mais sobre monta, clique aqui.

Leia o post sobre castração, clicando aqui.

Leia mais →
curativo

Se o seu cão ou gato tem uma lesão que não está cicatrizando dentro do tempo esperado, precisamos prestar atenção em alguns aspectos:

  • foi realizado um diagnóstico?

Algumas feridas podem ser causadas por fungos, por ex. e precisam de tratamento específico.

Um tumor de pele pode ter um aspecto semelhante a uma ferida e pode até ser necessário realizar uma cirurgia.

  • o controle da infecção e inflamação está sendo realizado?

Os cães e gatos vivem no chão, em contato com muitas bactérias, é difícil manter uma ferida limpa.

  •  o animal está constantemente lambendo/mordendo a lesão?

Neste caso é necessário impedir com o uso de colar Elizabetano (saiba mais clicando aqui) ou fazer um curativo eficaz, pode ser uma roupa cirúrgica, dependendo da região afetada (para saber mais, clique aqui)

  • a lesão sofre atrito com o chão?

É praticamente impossível cicatrizar uma lesão se há uma ação de “retirada da casquinha” constante.

Nunca faça um tratamento sem levar seu animal para ser examinado por um(a) veterinário(a).

Quanto antes se iniciar o tratamento adequado, melhor!

 

 

Leia mais →
duvida

Pretende reproduzir seu animal?

Tem certeza? Será que existe uma parceira disponível?

Vivenciar a gestação e o nascimento dos filhotes pode ser uma experiência incrível, mas a fêmea precisa de cuidados antes de acasalar, durante e depois da gestação.

Geralmente a gestante faz todo trabalho de parto sozinha, nem precisa de ajuda. Mas nem sempre tudo ocorre como planejado.

Pode ser necessário fazer uma cesariana de emergência ou estar presente na hora do parto para ajudar a cortar os cordões umbilicais, limpar os filhotes e “encaixá-los” nas mamas.

Se ocorrer algum problema na amamentação, como uma mastite por exemplo, precisamos alimentar os filhotes, com mamadeira de 3 em 3 horas.

Para saber mais sobre mastite, clique aqui.

Este é o principal motivo para os donos das fêmeas não aceitarem os muitos convites para acasalamento que recebem. A maior responsabilidade é deles.

E os filhotes, quando chegarem na idade do desmame (aproximadamente 2 meses)?

Vai vender todos? Dar? Pra quem? Será que existe um número suficiente de candidatos legais, responsáveis?

Os cães e gatos não idealizam um romance, com namoro, noivado e casamento, como nós.

A reprodução é destinada somente à perpetuação da espécie. Eles podem ter amigos, parceiros de vida e de brincadeiras na praça, mas não tem a necessidade do acasalamento.

Eles não precisam ser pais ou mães para se “realizarem”.

A esterilização cirúrgica é a melhor forma de evitar a reprodução e abandonos futuros.

Quando a cirurgia é realizada precocemente (pode ser antes mesmo de 1 ano), previne problemas na idade avançada, na próstata, tumores de mama, infecções uterinas (piometra – para saber mais, clique aqui) e ainda funciona como modulador comportamental.

Para saber mais sobre idosos, clique aqui.

Especialmente nos machos, as mudanças são notáveis. Eles param de “urinar a prestação” nos móveis, diminuem a monta nas pernas das pessoas, a agressividade e o interesse em fugir.

Para saber mais sobre monta, clique aqui.

OS MACHOS NÃO FICAM BOBOS, NEM MUDAM DE PERSONALIDADE. Só apresentam menos comportamentos desagradáveis.

Quanto ao risco de obesidade, basta controlar a ingesta de alimento e continuar com exercícios. A comunidade científica ainda não sabe exatamente porque 50% dos animais tendem a engordar e outros 50% não.

A cirurgia de castração oferece riscos, como toda cirurgia/anestesia.

Mas normalmente ela é realizada com muita frequência e segurança.

Os cuidados pós-operatórios são comuns a quase toda cirurgia:

  • repouso para preservar a sutura (evitar que “os pontos abram”) até a retirada dos pontos (aproximadamente 10 dias)
  • acompanhar se a cicatriz está seca e limpa
  • não permitir que o animal morda, coce ou lamba a cicatriz. Se precisar, use roupa cirúrgica (saiba mais clicando aqui) ou colar “Elizabetano” (aquele parecido com um abajur, saiba mais clicando aqui)
  • siga as recomendações do(a) veterinário(a) e dê as medicações prescritas

NUNCA utilize drogas injetáveis para interromper ou evitar cios e gestações. O risco de efeitos colaterais graves é enorme.

Converse com seu veterinário.

Algumas Universidades, instituições e prefeituras oferecem o serviço de castração a preços populares e/ou gratuitamente.

Leia mais →
Foto de Patricia Nunez

O envelhecimento predispõe os animais a desenvolver algumas doenças, o corpo já não responde bem às necessidades do dia-dia.

Se estivermos atentos, podemos prevenir que as doenças se instalem, ou se agravem.

Um exame clínico de rotina no animal idoso é fundamental.

As principais alterações são:

  • Artrite – os animais raramente reclamam de dor, mas a dor articular é muito comum nos cães idosos. Em geral, eles diminuem a atividade, não conseguem mais subir e pular como antes e podem ficar desconfortáveis na mesma posição, inquietos. O controle da dor é possível através de medicação e acupuntura. Saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/artrite/
  • Dentes – a formação de placa bacteriana e cálculo dentário (tártaro) é muito frequente. É possível prevenir durante toda vida através da escovação e alimentação adequada. O tratamento deve ser realizado por um veterinário capacitado. Saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/mau-halito/
  • Nutrição – a alimentação do idoso deve ser adaptada. Existem rações destinadas aos idosos, em geral, são chamadas de “senior”. A obesidade é muito comum e além de predispor a outras doenças, diminui a longevidade (saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/obesidade-em-caes-e-gatos/). Nem todo animal idoso é obeso, alguns são muito magros e perdem massa muscular com a idade. Os animais com doenças específicas devem se alimentar com rações indicadas, disponíveis no mercado. Converse com o veterinário do seu animal.
  • Doença Renal – doença metabólica mais comum em gatos idosos. Com diagnóstico precoce (só possível através de exames de sangue) podemos prevenir o agravamento e oferecer qualidade de vida e longevidade. Por esta razão recomendamos exames de sangue rotineiramente a partir de determinada idade (depende do porte do animal – saiba mais em http://www.bichosaudavel.com/tabela-idade-4/)
  • Doenças Endócrinas – o hiperadrenocorticismo (doença de Cushing) e o hipotireoidismo são as mais comuns nos cães. Na primeira, a quantidade de cortisol secretada é excessiva resultando em diversas alterações no animal. Já o hipotireoidismo é a baixa atividade da glândula tireoide. Existe tratamento, que melhora muito a vida dos animais.
  • Coração – doenças valvulares, aumento cardíaco, dirofilariose. Se precocemente detectadas, são tratadas ou controladas.
  • Olhos – assim como nós, a visão dos animais piora com a idade. Além da perda da acuidade, há muitos casos de catarata, diminuição da lubrificação ocular (olho seco) e consequente ceratoconjuntivite seca. A catarata pode ser operada, mas preferencialmente em animais mais jovens. Consulte um oftalmologista veterinário.
  • Tumores na Pele – os nódulos, massas e verrugas são muito comuns nos cães idosos. O veterinário deve avaliar (através de exames citológico ou biopsia) a necessidade de remoção cirúrgica dependendo da localização, tamanho e incômodo. Se não retiradas devem ser monitoradas (observar se aumentam e/ou se modificam).
  • Câncer – existe tratamento para alguns tipos de câncer, nem todos são fatais.. É fundamental fazer o diagnóstico o mais cedo possível. O prognóstico depende do tipo, da localização e da presença ou não de metástase (saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/animais-tem-cancer/).
  • Incontinência Urinária – animais idosos podem se tornar incapazes de  controlar a urina, eliminando pequenos ou grandes volumes quando dormem. O tratamento pode ajudar e também é possível adaptar “fraldas” para oferecer conforto e higiene.
  • Problemas Reprodutivos – a próstata, os testículos, os ovários, mamas e útero podem apresentar problemas nos animais idosos. Na maioria das vezes é necessário realizar a esterilização cirúrgica para tratar. A castração precoce previne estas patologias e o risco maior de uma cirurgia num animal idoso.
  • Disfunção Cognitiva e Comportamento – assim como nós, os animais tendem a ficar mais solitários, impacientes e irritáveis. As vezes, eles erram o local determinado para defecar e urinar, latem ou miam demais e  chegam a ficar encurralados em locais da casa que eles sempre conhecerem (EX: entre a parede e o armário). É possível prevenir o aparecimento destes sintomas com medicação e exercícios. Converse com seu veterinário. Saiba mais em: http://www.bichosaudavel.com/disfuncao-cognitiva-canina-alzheimer-canino-com-a-colaboracao-da-dra-liliane-pantoja/
Leia mais →
Carregando..
 
 
focinho do cachorro
rabo do gato